Cimolai dá adeus para Içara

Devido a questões jurídicas, multinacional italiana decide não mais esperar a construção de uma nova fábrica

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Içara

Um investimento de R$ 15 milhões deixou de ser aplicado em Içara. A multinacional italiana Cimolai, quarta maior montadora de estruturas metálicas do mundo, anunciou que não irá mais se instalar na região, após cerca de três anos de negociações. Conforme o prefeito, Murialdo Gastaldon, uma ação judicial, movida por um advogado da cidade, foi um dos motivos que fizeram que a empresa desistisse do investimento. “Eles afirmaram não poder mais esperar. Eles também fazem um investimento na Rússia, onde estavam mais adiantados, mas não disseram para onde iriam”, lamenta o administrador municipal.

- PUBLICIDADE -

Em 2014, a Justiça deferiu uma liminar permitindo que a Cimolai se instalasse no terreno doado pela Prefeitura. Questionava-se o fato de que o local onde a empresa seria construída fosse uma Área de Preservação Permanente. “Mas o processo não andou mais. Foi dada a liminar, mas não houve algo definitivo”, explica o prefeito.

Até a presente data, segundo o procurador do Município, Walterney Réus, a Cimolai sequer foi citada para integrar o processo. “Ou seja, o processo ainda nem começou, colocando em risco qualquer investimento feito sobre o imóvel, o que congelou os ânimos dos empreendedores, que aguardaram pacientemente por mais dois anos, esperando que a questão se resolvesse”, expõe

Conforme Gastaldon, a saída da Cimolai traz prejuízo ao município. Mesmo que a metalúrgica ainda não tivesse se instalado na cidade, centenas de empregos deixaram de ser gerados. “Este era um empreendimento de nível nacional”, aponta o gestor municipal.

Em 2014, o Município havia doado dez hectares para a Cimolai. A área concedida ficava às margens da BR-101, no bairro Esperança. Era ali que a empresa produziria estruturas metálicas em aço. Naquela época, a multinacional chegou a dar os primeiros passos para a instalação da fábrica em Içara, com a terraplanagem do terreno.
Contudo, agora o espaço deverá ser aproveitado para outros rumos. Conforme Gastaldon, a intenção é construir uma área empresarial. “O terreno volta para a Prefeitura. Serão 28 lotes, todos com 2,5 mil metros quadrados”, salienta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Içara

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.