Câmara deverá gerar R$ 10 milhões em economia em quatro anos

Reduções foram anunciadas pelo presidente Júlio Colombo (PSB), em entrevista coletiva concedida na tarde desta quinta-feira, 2

Foto: Francis Leny/DN Sul
- PUBLICIDADE -

Marciano Bortolin

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, Júlio Colombo (PSB), anunciou em entrevista coletiva realizada na tarde desta quinta-feira, 2, uma série de redução de gastos na Casa. Ao todo, conforme o presidente, a Casa deverá gerar R$ 10 milhões em economia em quatro anos. Somente com folha de pagamento, a intenção é economizar pelo menos R$ 7 mil por ano. Para isso, os servidores, que possuem duas gratificações, perderão uma, equivalente a R$ 560. “Isso irá significar redução de 20%, e será como se dois cargos fossem extintos”, fala.

Hoje, a folha de pagamento do Legislativo criciumense representa 64% do orçamento da Casa. “O Tribunal de Contas estipula que o valor pode ser de até 70%, então estamos abaixo disso”, enfatiza.

Outra economia também deverá ser gerada tanto na TV Cidadão quanto na publicidade. “Utilizaremos a agência de publicidade somente em casos extremos. Também começamos uma nova era com as transmissões das atividades do Legislativo pelo Facebook. Isso nos aproxima da comunidade e dá mais transparência”, diz.

Sem diminuição do repasse

Colombo salienta que o repasse por parte da Prefeitura, que no ano passado foi de R$ 16 milhões, não será diminuído. “Chegaremos ao percentual proposto pelo Observatório Social, que é de 3,49%, com as devoluções. Poderemos fazer mensalmente, ou a cada três meses como foi em 2016. Assim poderemos fiscalizar melhor onde estes valores serão aplicados”, comenta.

Em 2016, as devoluções para a Prefeitura totalizaram R$ 1,6 milhões.

A reportagem completa você confere na edição do Diário de Notícias desta sexta-feira, 3.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Marciano Bortolin
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.