Superbactéria é registrada em UTI do Hospital Regional de Araranguá

Instituição aponta que incidência é comum em ambientes hospitalares e que a situação está sob controle

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Araranguá

A informação de que haveria um surto de uma superbactéria na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Regional de Araranguá (HRA) assustou os familiares de pacientes que estão internados no local. A incidência da bactéria KPC – Klebsiella pneumoniae Carbapenemase – começou a ser registrada em janeiro, onde os cuidados pela instituição foram intensificados.

- PUBLICIDADE -

Em nota, a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), responsável pela gestão do Regional, e a direção do HRA explicam o ocorrido. “No mês de janeiro de 2017, observamos um aumento da incidência de pacientes colonizados pela Klebsiella resistente a carbapenêmicos, conhecida como KPC. Como houve mais de três casos, o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) da instituição caracterizou o episódio como surto”, esclarece.

De acordo com as informações repassadas, a rápida ação dos setores possibilitou que a situação fosse controlada. Além disso, a direção ressalta que as pessoas não foram infectadas pela bactéria, apenas colonizadas (que é quando está no organismo, mas não desenvolve nenhum tipo de doença).

 

A reportagem completa estará na edição desta sexta-feira, 10, do jornal Diário de Notícias.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Suelen Bongiolo
Em: Araranguá

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.