- PUBLICIDADE -

Giovane Marcelino / Especial
Criciúma

 

- PUBLICIDADE -

Os consumidores, lojistas e população em geral de Criciúma ganharam um novo aliado na denúncia e fiscalização do comércio. A Administração Municipal de Criciúma fez na manhã desta quinta-feira, 6, o lançamento oficial do site do Procon do município. Autoridades, convidados e imprensa puderam acompanhar a nova ferramenta que irá auxiliar toda a população.

De acordo com o coordenador do Procon em Criciúma, Gilberto Santos, facilitar o atendimento através da tecnologia é um dos principais objetivos do site. “Assumimos em janeiro com um planejamento estratégico de ter um site e, com ele, possibilitar um acesso mais tranquilo e passando informações ao consumidor e cidadão em geral”, explicou.

Com o serviço, Santos explica que a parte web visa também diminuir o atendimento presencial. “No primeiro semestre, realizamos em torno de seis mil atendimentos no escritório e com o site, pode-se fazer através da internet, em casa”, complementou.

No site, pode-se ler notícias sobre a instituição na cidade, acessar o site do Procon estadual, orientações aos consumidores, fazer o bloqueio de recebimento de ligações de telemarketing, acesso ao site consumidor.org.br e também uma lista de sites não confiáveis.

Em elaboração pelo setor de Tecnologia da Informação (TI) da Prefeitura, o site não teve custos com a construção para o município. “Estudamos um layout fácil para que qualquer pessoa que entrar possa utilizar da melhor forma”, explicou o diretor de TI, Tiago Pavan.

O site do Procon de Criciúma pode ser acessado através deste link. Os interessados em realizar algum tipo de reclamação pessoalmente, podem ir até a sede, localizada na rua Henrique Lage, em Criciúma.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.