Semana da Pessoa com Deficiência inicia com diálogo

O evento tem como objetivo dar visibilidade a esta camada da população

Foto: Divulgação.
- PUBLICIDADE -

A 1ª Semana da Pessoa Com Deficiência e o 2º Encontro Intersetorial Regional dos Direitos da Pessoa com Deficiência iniciaram na noite desta quinta-feira, dia 21, na Unesc com uma mesa de diálogo envolvendo representantes de entidades da região e profissionais de saúde. Os eventos seguem até 28 de setembro com diversas atividades no campus. Eles têm o objetivo de dar visibilidade à pessoa com deficiência e trazer temáticas diferenciadas ao debate, por meio de palestras, apresentações culturais e rodas de conversa. Prevenção de deficiências, educação inclusiva, gênero, sexualidade e deficiências, entre outros assuntos, serão discutidos durante os encontros.

O presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Criciúma, Cláudio Pacheco e o promotor da 8º Promotoria de Justiça da Comarca de Criciúma, Maurício Vieira, abordaram o histórico da luta pelos direitos da pessoa com deficiência no Brasil e na região. Segundo Pacheco, as primeiras experiências em forma de associações ocorreu tendo o foco na prática esportiva e apenas na década de 80 é que surgiram as primeiras associações para lutar pelos direitos destas pessoas.

- PUBLICIDADE -

Os eventos são gratuitos e promovidos pelo CER (Centro Especializado em Reabilitação) da Unesc, em parceria com o DIDH (Diversidades, Inclusão e Direitos Humanos), além de outros setores da Universidade.

A abertura da Semana contou com tradução em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Encontro para pensar melhorias

Segundo a coordenadora do CER, Lisiane Tuon, os temas que serão abordados ao longo dos eventos são importantes para a reflexão sobre assuntos que carecem de mais atenção. “Que bom que temos associações e entidades engajadas nesse debate. A Unesc sempre apoiou a inclusão em todos os espaços. A inclusão faz parte da política institucional da Universidade”, comentou.

O pró-reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unesc, Oscar Montedo, comentou que a Semana da Pessoa com Deficiência é uma oportunidade para que todos reflitam como podem, de seus lugares, tornar os espaços mais acessíveis para todos.

A abertura do evento contou ainda com a participação do secretário de Saúde de Maracajá, Diogo Copetti, da diretora da UNA SAU (Unidade Acadêmica de Ciências da Saúde), Mira Dagostim, e da assistente social do CER, e representante do DIDH, Priscila Schacht Cardozo.

Manifesto

O primeiro dia da Semana foi marcado ainda pelo manifesto “É só um minutinho!”, que chamou a atenção dos motoristas que passaram pelo campus sobre as vagas de estacionamento destinadas às pessoas com deficiência.

Pacto pela Promoção do Respeito à Diversidade

A Semana da Pessoa com Deficiência da Unesc ainda será marcada pela assinatura do Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e dos Direitos Humanos na terça-feira (26/9), às 19 horas, no Auditório Ruy Hülse. O evento contará com a palestra “Gênero, Sexualidade e Deficiências”, da professora da UFSC e pesquisadora vinculada ao Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades do Departamento de Antropologia da UFSC e ao Núcleo de Estudos sobre Deficiência do Departamento de Psicologia da mesma universidade, Anahi Guedes Mello.

Segundo Priscila, do DIDH, além da Unesc aderir ao Pacto Universitário promovido pelo Ministério da Justiça e Direitos Humanos e pelo Ministério da Educação, a Universidade irá apresentar a comissão formada por alunos, professores, funcionários e gestores que vai pensar a apresentar ações relacionadas ao pacto a serem desenvolvidas pela Instituição nas esferas: ensino, pesquisa, extensão, gestão e comunidade.

A assinatura ocorrerá no dia em que o DIDH completa um ano de atividades na Unesc.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.