Procon de Criciúma implanta Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor

A implantação do Sindec visa agilizar e organizar os atendimentos aos consumidores

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma

O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Criciúma contará com o Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec). Utilizado por municípios de todo o país, o software trará mais segurança agilidade aos consumidores que procuram o órgão. Licenciado pela União ao Estado de Santa Catarina, o programa será implantado em Criciúma através de um termo de cooperação técnica entre Secretaria da Justiça e Cidadania e Administração Municipal. O sistema será instalado neste mês e passará por períodos de testes antes de entrar em funcionamento.

- PUBLICIDADE -

Hoje os trabalhos são organizados através da planilha Excel. “O sistema utilizado é muito ultrapassado, pois os riscos de perder os dados armazenados são grandes. As informações eram coletadas, salvas e depois feito um backup no servidor interno. Com o Sindec, o risco de acontecer é muito pequeno, até porque nós não precisamos fazer o armazenamento, isso fica por conta do Estado”, explica o coordenador do Procon de Criciúma, Gilberto Santos.

Em Criciúma, são registradas entre 80 e 120 reclamações diárias. “Este programa dará mais rapidez a resolutividade nos processos, além de manter as informações mais organizadas. O Sindec vai beneficiar desde o atendimento até a área jurídica, melhorando muito a gestão interna. O Estado e a União também terão acesso facilitado às informações, ajudando na elaboração de pesquisas ao consumidor”, relata o coordenador municipal do Procon.

 

Arquivo
Os dados antigos serão armazenados no servidor interno. “Caso precisamos de alguma informação registrada anteriormente ficará armazenada e à disposição do Procon. Já os casos ainda em andamento serão atualizados no software”, finaliza Santos.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.