Governo reforça alerta sobre medidas de prevenção à gripe

Até o momento, Santa Catarina registrou 21 casos confirmados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) pelo vírus Influenza, sendo 17 pelo vírus A (H3N2), dois pelo Influenza B, um pelo A (H1N1) e um pelo Influenza A

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Com a queda das temperaturas em Santa Catarina, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) da Secretaria de Estado da Saúde (SES) intensifica o alerta referente às medidas de prevenção para evitar a infecção e a transmissão da gripe.“Apesar do frio, é importante manter os ambientes ventilados naturalmente e é fundamental evitar locais onde haja aglomeração de pessoas”, ressalta Vanessa Vieira da Silva, gerente de Imunização da Dive.

A gerente salienta ainda que lavar as mãos frequentemente e, ao tossir e espirrar, cobrir a boca e o nariz com um lenço descartável ou com o antebraço são outras medidas importantes para reduzir a circulação do vírus da gripe. Até o momento, Santa Catarina registrou 21 casos confirmados de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) pelo vírus Influenza, sendo 17 pelo vírus A (H3N2), dois pelo Influenza B, um pelo A (H1N1) e um pelo Influenza A. “Os meses entre maio e agosto são aqueles em que, historicamente, há maior circulação do vírus influenza”, enfatiza Vanessa.

- PUBLICIDADE -

Dos casos confirmados como Influenza entre os dias 1º de janeiro e 22 de abril, 15 evoluíram para cura, dois aguardam evolução e quatro foram a óbito, todos por Influenza A(H3N2). Os óbitos foram de pacientes residentes em Florianópolis, Jaraguá do Sul, Lages e São Miguel do Oeste, que apresentaram fatores de risco associados, sendo dois portadores de Diabetes Miellitus e dois com doença cardiovascular crônica. Todos fizeram uso de antirretroviral três dias após o início dos sintomas.

Em 2016, no mesmo período, Santa Catarina confirmou 404 casos de SRAG por influenza e 49 óbitos. “Os meses de Janeiro a Abril sempre foram um período de baixa circulação de vírus Influenza. No ano passado registramos uma ocorrência atípica”, observa Vanessa. Conforme a gerente é importante que as pessoas fiquem atentas aos sinais e sintomas de síndrome gripal. Ao apresentar febre, tosse ou dor de garganta e, pelo menos, mais um dos sintomas – mialgia, cefaleia ou artralgia -, deve-se procurar uma unidade de saúde em até 48 horas para início do tratamento adequado. A quem estiver doente, recomenda-se, ainda, beber bastante líquido, ter uma alimentação saudável e evitar sair de casa.

Campanha de vacinação

Em Santa Catarina, 469.537 pessoas já se vacinaram contra a gripe na rede pública de saúde na 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza – o equivalente a 27,61% do total de 1,8 milhão de pessoas pertencentes aos grupos prioritários que devem ser imunizadas no estado. Dessas, 284.622 eram pessoas com 60 anos ou mais, 102.682 eram portadores de comorbidades ou condições clínicas especiais, 40.323 eram crianças até cinco anos, 17.715 trabalhadores de saúde, 11.355 gestantes, 2.907 puérperas (até 45 dias após o parto), 7.945 professores, 835 indígenas, 1.014 população privada de liberdade e 139 funcionários do sistema prisional. A Campanha segue até o dia 26 de maio, sendo o dia 13 de maio o Dia D, quando as unidades de saúde estarão abertas das 9h às 17h, para vacinação contra a gripe.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.