Festival resgata tradição musical

Apresentação de bandas e fanfarras da região acontece no sábado, 30, na Satc. Evento foi criado em 1998 e será retomado neste fim de semana

Foto: Divulgação/Satc
- PUBLICIDADE -

Criciúma

O primeiro Festival de Bandas e Fanfarras de Criciúma ocorreu em 1998, nas dependências da Satc. Anos depois, uma reunião com os maestros envolvidos decidiu levar o evento para o Colégio Rogacionista Pio XII. O último festival aconteceu em 2010. Sem a realização durante seis anos, o evento vai voltar a resgatar os talentos da região em 2017.

- PUBLICIDADE -

“Era um desejo meu e do maestro Pedro retomar este belíssimo evento, por isso colocamos no calendário deste ano. A música, o tocar um instrumento, ajuda os alunos na concentração, dedicação, comprometimento, e tudo isso reflete no aprendizado em sala de aula. O festival tem o objetivo de mostrar para comunidade a importância que a música traz, refletindo o bem-estar”, destacou Jucéle Martins Coelho, coordenadora da Escola de Talentos da Satc.

Neste ano, o evento contará com nove bandas: Imaruí, Gravatal, Forquilhinha, 28° GAC, Cedup, Satc, Cruzeiro do Sul, Fanfarra Hercílio Amante e a banda Dehon, de Tubarão. Todas as equipes musicais terão 20 minutos para mostrar o talento. A edição 2017 dá o nome do ex-diretor João Luiz Novelli para os troféus que serão entregues aos participantes. O evento acontecerá no Ginásio II da Satc, neste sábado, 30, às 14 horas.

Um festival envolve concentração, aprendizagem, dedicação e comprometimento. O objetivo é resgatar o espírito musical do mundo das bandas e fanfarras. “Antigamente a maioria dos colégios de Criciúma e região tinham bandas e, com o tempo, foram se perdendo, então, com esse evento, nós estamos tentando cultivar isso novamente. Tentar resgatar novos alunos pelo gosto por banda marciais”, destacou Pedro Apolinário, maestro e professor da Satc.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Morro da Fumaça

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.