Fé e devoção a Nossa Senhora de Caravaggio

Nem a chuva intensa foi capaz de impedir os fiéis de participarem das celebrações e da tradicional romaria

Foto: Divulgação/Diocese de Criciúma
- PUBLICIDADE -

Nova Veneza

“Como foi naquele dia de muita chuva, Deus enviou grandes sinais do céu para a humanidade”. Foi nesse espírito que o bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inacio Flach, saudou os devotos de Nossa Senhora de Caravaggio, na missa da 66ª Romaria e Festa em honra à Padroeira, celebrada ontem, em Nova Veneza. O bispo recordou os 100 anos da aparição de Maria na cidade de Fátima, em Portugal, onde Deus realizou o “milagre do sol”, depois de uma chuva torrencial banhar milhares de fiéis que se localizavam na Cova da Iria.

- PUBLICIDADE -

Mesmo com a impetuosidade do tempo, o pátio do Santuário Diocesano ficou lotado para a acolhida da imagem, ladeada por centenas de crianças vestidas de anjos, trazida pela Paróquia Nossa Senhora das Graças, do bairro Pinheirinho, em Criciúma. “Excepcionalmente hoje chove. Todas as pessoas que moram aqui, há muito tempo, afirmam que nunca choveu no dia e hoje está chovendo. Deus deve ter algum plano especial para toda a Igreja e, sobretudo, para este santuário e todos vocês que aqui vieram. A chuva é um sinal de bênçãos de Deus”, acrescentou Dom Jacinto, ao afirmar que foi na chuva que Maria provou sua presença no meio da Igreja e da comunidade, na aparição em Fátima.

Multidão acompanha a celebração

Durante a Liturgia da Palavra, parte dos fiéis se deslocou até o interior da igreja, que ficou repleta, e aonde eram transmitidas as imagens da santa missa. Mesmo assim, muitos devotos se mantiveram em pé, debaixo da chuva torrencial. “A gente se alegra vendo tanta gente expressando sua fé, mesmo com chuva. Uma festa, quando é tradicional, quando está no coração do povo, pode chover ou não, ela sempre traz muita gente”, destacou o reitor do Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, Valdemar Carminati.

Como acontece em todos os anos, pétalas de rosas seriam jogadas de um helicóptero para recepcionar a imagem na chegada ao santuário. No entanto, devido ao mau tempo, não foi possível manter a tradição. Em compensação, as pétalas foram abençoadas durante a celebração e distribuídas aos devotos no fim da missa.

 Devotos falam do amor a Maria

A devota Rosa da Silva foi uma das senhoras que ficou o tempo todo em pé, diante do altar, debaixo de chuva. Ela, que é de Gravatal, foi pela terceira vez à festa de Nossa Senhora de Caravaggio. “A gente veio pedir uma graça, então, fiquei aqui até o fim. A outra vez que vim, pedi e alcancei e agora vim agradecer. Nossa Senhora, para mim, é tudo, tenho muita fé!”, destacou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Nova Veneza

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.