Dia do Filho Pródigo: Pastoral de Rua da Paróquia São José promove ação neste sábado

Atividades com moradores de rua serão desenvolvidas neste sábado, dia 8, das 8h às 17h, no salão da Catedral

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Ao conversar com a jovem Paula Costa Cardoso, membro da Pastoral de Rua da Paróquia São José, é impossível não recordar aquela antiga canção que diz: “Seu nome é Jesus Cristo e passa fome/E grita pela boca dos famintos/E a gente quando vê passa adiante/Às vezes pra chegar depressa à igreja/Seu nome é Jesus Cristo e está sem casa/E dorme pelas beiras das calçadas/E a gente quando vê aperta o passo/E diz que ele dormiu embriagado…”.

- PUBLICIDADE -

A lembrança vem à mente, só que em sentido contrário. Paula é uma das envolvidas no “Dia do Filho Pródigo”, uma atividade que será desenvolvida neste sábado, dia 8, das 8h às 17h, no salão da Catedral. Conforme a jovem, há um ano e meio a Pastoral de Rua passou a existir na Catedral São José, cujos arredores, diariamente, contam com a presença de moradores de rua. “A Pastoral de Rua está crescendo. Temos cinco agentes que fazem atendimento todas as quartas-feiras à noite. Levamos comida, evangelizamos e tentamos tirá-los da situação de rua. A abordagem é feita em frente à Catedral. Antigamente, íamos ao encontro deles. Hoje, são eles que vêm até nós”, relata Paula.

Conforme a agente pastoral, o sonho do grupo é de, um dia, ter uma casa para acolher pessoas em situação de rua. Enquanto isso não acontece, pequenas ações, que algumas vezes trazem grandes resultados, vão sendo feitas. Segundo Paula, há casos, já, de pessoas que retornaram ao convívio familiar e mudaram seus hábitos de vida. E há ainda aqueles para quem a Pastoral de Rua se tornou uma família. “Um dia fomos fazer a pastoral e havia um irmão que estava de aniversário. Levamos um bolo e ele ficou super emocionado, porque fazia muito tempo que não comemorava seu aniversário”, recorda, sorridente.

O Dia do Filho Pródigo é uma ação que foi proposta pela pastoral aos moradores de rua que, conforme a organizadora, manifestaram total adesão desde o primeiro dia. “Foram eles que escolheram este nome. A princípio, ia se chamar “Dia da Solidariedade”. Informamos a eles e eles disseram que não queriam esse nome; falaram que se sentiriam como se estivessem voltando para a casa de Deus e um deles falou: ‘Devia ser o nome o filho pródigo’. Todos concordaram e esse nome foi escolhido. Estão muito animados. Toda quarta-feira, quando a gente vai até eles, eles perguntam. É como se fosse um dia de festa que, na verdade, é o dia da restauração da dignidade deles, um dia em que nós queremos ser família junto com eles, almoçar, não só dar comida e banho, mas significar a transformação de vida do velho para o novo, com Deus”, declara Paula.

Na atividade, os moradores serão atendidos por médico, enfermeiros, dentista, assistente social, psicólogo, cabeleireiro, manicure e também de agentes da Pastoral da Saúde. Na ocasião, será oferecido café da manhã e almoço, banho, roupas e kit para higiene. Segundo Paula, a expectativa de público é incerta ainda. “Hoje atendemos cerca de 20 pessoas. Se vier um nós já estamos felizes. Eles receberam convite, mas como eles têm receio, porque não seremos só nós, mas haverá outras pessoas no local, sabemos onde alguns ficam e iremos em busca deles. Estamos organizados para receber cerca de 25, mas não sabemos exatamente quantos virão. Não haverá nenhum cadastro, para não assustá-los. Nosso trabalho é ficar junto deles, conhecer a sua história – e já conhecemos de alguns. Vamos perguntar o que gostam, sua data de aniversário e ajudar aqueles que têm o desejo de sair da rua, pois sabemos de casas para onde podemos encaminhá-los”, pontua.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.