Cuidados ao contratar procedimentos estéticos

Entre as orientações essenciais, o primeiro conselho é o paciente procurar por um profissional habilitado

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Nos últimos anos, a crescente procura por procedimentos não cirúrgicos e reparadores superou o das operações estéticas, segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Neste contexto, os profissionais orientam as pessoas a cuidados essenciais, que vão desde a escolha de um profissional ao paciente seguir as orientações prescritas.

A cirurgiã plástica, Fernanda Buss Porto Leite, aconselha, primeiramente, que a pessoa procure um profissional capacitado, com registro no conselho. “Procure um dermatologista ou cirurgião plástico. Profissional habilitado. Isso garante maior segurança. Depois, deve conversar com o profissional sobre as técnicas e produtos utilizados. Muita gente vai atrás do preço e a casos que pode custar mais caro. Uma injeção intravascular, por exemplo, pode levar a necrose de pele, cegueira e Acidente Vascular Cerebral (AVC)”, cita a médica. “Um bom profissional deve saber a indicação correta de cada produto, ter conhecimento de anatomia, tipos de técnicas aplicadas e utilização dos produtos”, acrescenta.

- PUBLICIDADE -

Segundo Fernanda, a dor de cabeça é comum após procedimentos cirúrgicos ou reparadores na face. “O paciente pode estar ansioso com o procedimento e ter uma cefaleia tensional. Mas, se no dia da aplicação a pessoa tiver dor fora do normal, inchaço, hematoma ou palidez na região aplicada, sendo este último sintoma sinal de isquemia, procure imediatamente o profissional”, orienta.

Orientações aos pacientes

Liege Souza, medicina estética, repassa mais orientações aos pacientes. “Após o procedimento facial, o paciente não deve realizar esforço, deve repousar. Não baixar a cabeça com frequência e não realizar muitas expressões faciais, isso pode implicar na migração da substância aplicada e o efeito não ficar como desejado”, explica. Ela ainda ressalta. “Alguns procedimentos médicos invasivos, aplicados de forma errônea podem até causar a morte”, alerta.

Liege realiza procedimentos estéticos há quatro anos em Criciúma. Ela cita alguns tipos realizados, como Botox (correção de rugas mais finas), ácido de hialurônico (para lábios, olheiras, rugas profundas e sulco nasogeniano). Ainda fios de sustentação (elevação da ponta do nariz e bochecha).

A reportagem entrou em contato por telefone com o Conselho Regional de Odontologia, em Florianópolis. Por orientação, encaminhou e-mail solicitando entrevista sobre o assunto. Até o fechamento da edição não houve retorno.

Morte dias depois a procedimentos estéticos

A morte da moradora de Morro da Fuma, Graziela Cavalli, 38 anos, ocorrida nesta semana, abre um “leque” as discussões sobre a realização procedimentos estéticos faciais. Segundo o namorado, Marcos Roberto Bortollato, após três dias da aplicação de ácido de hialurônico no nariz e lábios, feita por um cirurgião-dentista, ela começou a se sentir mal e foi internada na UTI, onde permaneceu por dez dias, vindo a falecer.

No laudo apresentado pelos médicos, a causa da morte foi por acidente vascular isquêmico. Graziela teve morte cerebral.  “Ela teve uma dor de cabeça por volta das 14h, tomou um Doril e passou. Às 22h, deitada na cama, reclamou por dores fortes e, em seguida perdeu os sentidos”, lembra. “Seguiu as orientações prescritas. A única coisa que fez, talvez a mais, foi atividade física no domingo”, conta.

  • Matéria completa na edição do jornal Diário de Notícias desta sexta-feira
-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.