Atraso nos recursos do Conselho de Saúde chega a R$ 201 mil

São 15 meses sem repasse do Governo Municipal. Divergências na prestação de contas é apontada como um dos motivos

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Inoperante. Esta é a palavra que o tesoureiro, Júlio Cesar Zavadil, define sobre a atuação situação do Conselho Municipal de Saúde de Criciúma sem o repasse do Governo Municipal. Segundo ele, desde julho do ano passado não são encaminhados os valores referentes ao recurso firmado em convênios. São aproximadamente R$ 102 mil referente a 2016 (de julho a dezembro) e R$ 99 mil (de janeiro a setembro deste ano).

Sem recursos, o Conselho acumula dívidas, já estando sem energia elétrica, água, telefone e Internet. “Sem pagamento, nos cortaram a energia, água, telefone e Internet. Os trabalhos vinham sendo realizados em associações de bairros e nos sindicatos, espaços cedidos. Não teria como os conselheiros se reunirem, receber ou encaminhar documentos sem energia e Internet, por exemplo. Mas, chegou o momento que não dá mais. Sem estrutura, não há condições do Conselho atuar”, diz Zavadil. “Estamos com o aluguel e o pagamento do assessor contábil atrasado desde julho do ano passado; o do assessor jurídico desde outubro de 2016, entre demais contas pendentes”, lembra Zavadil.

- PUBLICIDADE -

Reunião tratou sobre o repasse

Para tentar resolver a situação, uma reunião foi realizada nesta terça-feira, dia 19, entre os secretários municipais da Fazenda e da Saúde, Robson Gotuzzo e Francielle Gava, conselheiros e vereadores. O não repasse dos recursos acontece devido a divergências de valores, apontadas nas prestações de contas.

O tesoureiro, Júlio Cesar Zavadil, alega que, entre os pontos debatidos, o Governo Municipal não aceita, junto ao cálculo, o valor de juros pagos em contas atrasadas. “O recurso mensal era repassado sempre atrasado. Consequentemente, as contas não eram pagas no dia do vencimento, o que gerou juros. Fizemos uma “vaquinha” entre os conselheiros e até a secretaria de Saúde ajudou. Arrecadamos R$ 2,2 mil para pagarmos o valor referente aos juros acumulados”, relata Zavadil.

Analise dos documentos

O Governo Municipal analisará todos os documentos entregues referente às prestações de contas para a busca de uma resolução. “Estamos aguardando os documentos do contador do Conselho de Saúde para encerrar a prestação de contas”, diz secretário da Fazenda de Criciúma, Robson Gotuzzo.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.