- PUBLICIDADE -

Criciúma

Acadêmicos do curso de Engenharia Mecânica da Unesc estão em contagem regressiva para participarem do Baja Regional Sul 2017, um concurso de protótipos de veículos off-road, que levam apenas um piloto e que possam trafegar em terrenos com as mais diferentes condições de solo. A competição ocorre de 17 a 19 de novembro em Passo Fundo e vai reunir estudantes de engenharia do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná. Os vencedores se classificam para a etapa internacional do Baja.

- PUBLICIDADE -

O Projeto Baja SAE é um desafio lançado aos estudantes de engenharia de todo o mundo com o objetivo de incrementar sua preparação para o mercado de trabalho. A participação no evento vai ser marcante para a equipe Vulcano. O grupo, formado por 15 estudantes e orientados por dois professores da Unesc, participa do Projeto Baja SAE e tem como diretriz apenas as especificações da SAE (Society of Automotive Engineers) que dizem respeito quanto ao motor utilizado e dimensões da estrutura. O restante, como o projeto, cálculos e construção é totalmente de responsabilidade dos alunos.

A ideia de participar do Projeto Baja iniciou em 2014 com um grupo de estudantes de Engenharia Mecânica. Entre eles, Pedro Nunes Domingos. Atualmente na nona fase do curso, ele conta que a ideia foi amadurecida durante dois anos e em 2016 começou a ser tirada do papel com a orientação de professores. E segundo ele, participar da competição vai representar a concretização de um sonho para o grupo. “Ver o projeto encaminhado é uma satisfação muito grande para nós que estamos desde o início nele. E para mim será mais especial ainda porque serei o piloto. Conheço cada peça, cada parafuso do carro”, comenta o aluno.

Domingos explica que no primeiro dia ocorre a apresentação do projeto e do protótipo. No segundo ocorre a inspeção técnica e de segurança e no terceiro, o enduro. “São três horas de prova e a pista é feita para testar de verdade os veículos. Se quebrar, a equipe pode consertar e voltar para a prova e ganha quem der o maior número de voltas”, explica.

Projeto especial

Segundo o acadêmico, o projeto é motivo de orgulho para os participantes e será um legado do grupo para os demais estudantes do curso. “O projeto é aberto para a participação de qualquer estudante de Engenharia Mecânica da Unesc e quando nós sairmos, sabemos que outras pessoas vão cuidar dele e aperfeiçoar cada vez mais”, comenta ele, que Thiago Martins Fernandes, que também esteve na criação do projeto.

Dentro do grupo, os acadêmicos dividem tarefas que vão da elaboração do projeto de protótipo, até de planos para a captação de apoiadores. Juntamente com os professores Guilherme Pickler e Vangelo Manenti, com o apoio do Centro Acadêmico e da coordenação de Engenharia Mecânica, os estudantes se mobilizam em ações para buscar patrocínio para as atividades do projeto. Confeccionaram camisetas e no próximo domingo (8/10) realizarão uma paella para angariar fundos para as atividades do projeto – os interessados em apoiar o Vulcano Baja ou adquirir ingressos podem entrar em contato com a coordenação do curso, pelo telefone (48) 3431-2639.

Aplicando a teoria

Segundo o professor do curso de Engenharia Mecânica da Unesc e um dos orientadores do Vulcano Baja, Guilherme Pickler, ele pode ser considerado uma oficina para o desenvolvimento e execução de projetos e uma oportunidade de os alunos aplicarem na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, e de maneira interdisciplinar. “Estudantes de diferentes fases participam do projeto e isso permite uma troca de conhecimento e um aprendizado em conjunto. É uma escola prática da Engenharia Mecânica, pois eles têm contato com todo o processo de fabricação e montagem”, comenta.

Os estudantes utilizam o Laboratório de Protótipos do Iparque (Parque Científico e Tecnológico da Unesc) para desenvolver as atividades e a intenção é que no futuro, o Vulcano Baja agregue estudantes de outros cursos da Universidade.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.