- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Tubarão

- PUBLICIDADE -

Sem chances de conquistar o primeiro turno do Catarinense, o Criciúma vai à campo hoje, às 19h30, para o clássico do Sul do Estado contra o Atlético Tubarão, no estádio Domingos Gonzáles,  em partida atrasada da 7ª rodada do estadual com time reserva. Será a primeira partida entre os times desde 2009.

Com uma maratona intensa de jogos até o momento – 12 partidas em 33 dias – o técnico Deivid aproveitará o confronto desta quarta-feira e também a disputa de sábado, contra a Chapecoense, novamente fora de casa, para dar descanso ao time principal. “Nós temos dois jogos para recuperar os jogadores que vinham jogando de titulares. Depois, a gente tem outros dois jogos importantes: segundo turno contra o Avaí e o jogo da Copa do Brasil. Então, tem alguns jogadores da nossa equipe que estão muito desgastados e a gente precisa fazer uma mini-temporada. Nós não tivemos tempo para isso porque estávamos jogando terça, quinta e sábado direto”, explicou o comandante tricolor.

Deivid listou os jogadores que precisam de mais atenção com a parte física e de descanso. “O Barreto que jogou todas e está com incômodo na panturrilha, o Dodi, Diego Giaretta – que só ficou fora de uma partida. O Raphael Silva. O Luiz está com incômodo no adutor. Jheimy está com dor na coluna. Maicon Silva tem problemas de adutor também. Agora, o Bessa também está com desconforto. Como a gente cobra muita intensidade, fica essa preocupação de recuperá-los para o jogo da próxima quarta-feira”, enfatizou o treinador.

Time reserva também em Chapecó

Após o jogo contra o Atlético Tubarão, o Criciúma volta à campo no sábado, às 16h, contra a Chapecoense. Para a última partida do Turno, o time também será o reserva. “A gente já conversou e fez a programação dos jogadores que precisam ser recuperados para os jogos contra o Avai e Fluminense ou Sinop. Assim, a gente vai ter todos zerados como no inicio da temporada”, explicou Deivid.

Ele considera normal a queda de desempenho do time nos últimos jogos. “Não deu tempo de treinar: nem técnico, nem tático e nem físico e foram muitos jogos. A gente estava recuperando eles direto para o jogo. Muitos estavam com a perna pesada e fomos mais no visual do que no treinamento. Agora, vamos dar esse período de 10 dias em duas semanas para estar com eles zerados”, contou.

Méritos do Avaí no Turno

O Tigre chega apenas para cumprir tabela nos últimos dois jogos do Turno, mas também há a necessidade de pontuar para uma eventual decisão de mando de campo na final – caso o Criciúma vença o Returno. Entretanto, esse fator de pontuação é minimizado por Deivid. “Foi pouco tempo e muitos jogos até agora. Então, a gente precisa tirar alguns jogadores nesses dois jogos, até porque o primeiro turno o Avaí já ganhou. O único problema é só o número de pontos para decidir a final em casa ou fora, mas o mais importante é ganhar o segundo turno. Claro que a gente pensa em decidir em casa, mas quando você chega na final não tem mais isso. São dois jogos e quem tiver mais concentrado ganha”, explicou.

O treinador do Criciúma elogia o Avaí pela conquista da fase inicial do Catarinense. “A gente tem que tirar o chapéu para o Avai: em sete jogos eles ganharam seis e empataram um. Mérito do treinador e do elenco. Nós não conseguimos ganhar deles em casa, não conseguimos ganhar do Inter, de Lages, e aí, em pontos corridos, acaba distanciando. Agora, é concentrar e consertar os erros que nós tivemos. Nós tomamos muitos gols e temos que consertar. Vou tirar esses 10 dias só para trabalhar o sistema defensivo”, acrescentou.

Deivid acredita que o segundo turno do Catarinense será mais difícil que o primeiro. “A tendência é o negócio afunilar. Então, a gente precisa estar mais concentrados, errar menos, porque nós tivemos apenas uma partida sem marcar: contra o Avaí. Então, eu sempre falo: se não tomarmos, provavelmente, a gente vai ganhar porque fazemos gols. Agora, vamos concentrar e trabalhar de novo para não sofrer da forma que está acontecendo”, finalizou.

Adversário quer deixar a lanterna

Com apenas cinco pontos conquistados em sete jogos, o Atlético Tubarão terá três jogos em casa na sequência – contra o Tigre, Almirante Barroso e Chapecoense – e busca deixar a última posição da tabela. “Precisamos aproveitar esses jogos em Tubarão para nos recuperarmos na tabela e trabalhar com mais tempo e tranquilidade, já que não iremos viajar. O primeiro é o clássico, e depois dois confrontos diretos que serão muito importantes para gente. Atacante vive de gol, e eu estou feliz em poder ajudar o Tubarão e ter marcado em uma partida importante. Espero que seja o primeiro de muitos”, comenta o atacante Rafael Ratão.

Campeonato Catarinense – 7ª Rodada – Primeiro Turno (Jogo atrasado)

01/03 – 19h30 – estádio Domingos Gonzáles, em Tubarão

TUBARÃO

Jandrei; Marcos Vinícius, Lucas Costa, Gerson e Vitão; Paulo Vinícius, Liel e Daniel Costa; Renteria, Everton Júnior e Rafael Ratão. Técnico: Waguinho Dias

CRICIÚMA

Edson; Diogo Mateus, Ferron, Ianson e Chico;  Ricardinho, Caíque Valdívia e Carlos Eduardo; Andrew, Hélio Paraíba e Pimentinha. Técnico: Deivid

Arbitragem: Evandro Tiago Bender. Assistentes: Nadine Schramm Câmara Bastos e Diogo Leonel Felix.

Atletas Relacionados

Goleiros: Edson e Vinicius

Laterais: Diogo Mateus, Chico e Marlon

Zagueiros: Ferron, Ianson e Nino

Volantes: Ricardinho e Caíque Valdívia

Meias: Alex Maranhão e Carlos Eduardo

Atacantes: Andrew, Helio Paraíba, Pimentinha, Flávio, Kalil e Adalgiso Pitbull

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.