Tigre é surpreendido, mas busca o empate em casa

Equipe esbarra na forte marcação do Paysandu, leva um gol na etapa final, mas tem brios para igualar em 1 a 1 e conquistar um ponto no Heriberto Hülse. Na sexta-feira, o adversário é o Goiás, novamente no Majestoso

- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Fotos: Lucas Colombo

A receita que o Tigre impôs ao Inter, no sábado, em Porto Alegre, se repetiu nesta terça-feira no Majestoso. Porém, foi o Paysandu que armou uma retranca e surpreendeu o Criciúma em um contra-ataque. Ainda assim, o Tricolor Carvoeiro teve forças e chegou ao 1 a 1. O próprio técnico Luiz Carlos Winck alertou, na segunda-feira, para a dificuldade que o Criciúma teria na partida e ela se confirmou. O jogo não teve boa qualidade técnica e o empate frustrou os torcedores carvoeiros. Além do forte sistema defensivo, o time do Norte ainda protagonizou muito anti-jogo, travando a partida e irritando o torcedor do Criciúma.

O Paysandu saiu com a bola e tentou rapidamente surpreender Luiz, sem sucesso. O Tigre começou pressionando o adversário, com a marcação avançada. Entretanto, a postura defensiva do time paraense dificultava a chegada do Tigre no gol de Emerson. Posse de bola superior do Tigre, mas sem efetividade. O jogo seguia sem chances de gol e com mais volume do Criciúma. Aos 14 minutos, Diego Giaretta perdeu no corpo a corpo pela esquerda e Wellinton Júnior cruzou, mas ninguém apareceu para completar. Primeiro lance de perigo na partida.

Lucas Colombo - Serie B Criciuma X Paysandu (20)Aos 17 minutos, a torcida pediu mão na bola de Gualberto, o juiz nada marcou. Na sequência, Alisson Farias foi derrubado pela esquerda. Falta. Ele cobrou mal, pela linha de fundo. Três minutos depois, Bergson foi derrubado na intermediária. Nova falta. O mesmo atacante cobrou também mal. O Criciúma não conseguia se desvencilhar da marcação e seguia sem finalizar ao gol do time paraense. As linhas de proteção do Paysandu dificultavam as ações do Tricolor Carvoeiro. Aos 31 minutos, em uma saída rápida, Wellinton Júnior chutou pela linha de fundo em tentativa do adversário. Aos 38 minutos, Diogo Mateus saiu da direita pelo meio e finalizou pela linha de fundo. O Tigre não conseguia ser vertical e rodava muito a bola na armação das jogadas.

Aos 41 minutos, Alisson Farias também fez jogada da direita pelo meio e chutou, a bola pegou no zagueiro Fernando Lombardi e saiu. Nos acréscimos, Diogo Mateus cruzou da intermediária e Lucão tentou, de bicicleta, mas não pegou bem na bola. “Nós conseguimos vencer a retranca deles. Eles estão jogando por uma bola. A nossa troca de passes tem que ser mais rápida para que a gente possa ganhar”, disse o atacante Silvinho, no intervalo.

Antes do primeiro minuto, na etapa final, Alisson Farias fez grande jogada pela esquerda, mas Gualberto colocou para escanteio. Na cobrança, a zaga tirou. Depois, Silvinho tentou e os defensores adversários tiraram novamente. Aos seis minutos, o Tigre vacilou, Fernando Lombardi cruzou e Bergson, por trás da zaga, completou para a rede para marcar: 1 a 0 para o Paysandu. O Tigre voltou marcando mais na frente e o Paysandu mais disposto a jogar, em um vacilo o Criciúma levou o gol. Aos 17 minutos, Jhonnatan recebeu na intermediária e chutou forte, mas por cima da trave.

Lucas Colombo - Serie B Criciuma X Paysandu (42)O Criciúma não conseguia superar a marcação do Papão, que estava muito bem postado. O time seguia sem ser vertical, só tocava a bola, sem objetividade. A partir daí, o Tricolor Carvoeiro foi todo pressão, mas sem ser efetivo. O goleiro Emerson pouco trabalhava. Porém, aos 24 minutos, de tanto brigar com a defesa, Lucão, o guerreiro carvoeiro, foi derrubado próximo da meia lua. Alex Maranhão bateu e a bola desviou na barreira para escanteio. Na cobrança, Diego Giaretta colocou para fora. Alex Maranhão deu mais velocidade ao time, entretanto, ainda assim o Tigre pouco finalizava.

Aos 31 minutos, a pressão, um tanto desordenada do Tigre, deu resultado: Alex Maranhão cobrou escanteio, Édson Borges cabeceou, Diego Giaretta desviou e empatou. 1 a 1. O Majestoso “rugiu” e o Criciúma seguiu em cima. Aos 39 minutos, Alex Maranhão bateu falta e a zaga colocou para escanteio. O mesmo Maranhão cobrou e Ayrton tirou. Um minuto depois, Alex Maranhão cruzou e Silvinho perdeu um gol incrível. No final, igualdade no placar e muita “cera“ do Paysandu para fazer o tempo passar e até 10 minutos de acréscimos colocados pela arbitragem. Na sexta-feira, o Tigre tem nova chance de chegar perto do G-4, contra o Goiás, novamente em casa.

Campeonato Brasileiro – Série B – 13ª Rodada

11/07 (Terça-feira), às 19h15, estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Luiz; Diogo Mateus, Raphael Silva, Edson Borges e Diego Giaretta; Jonatan Lima (Jocinei) e Barreto; Silvinho, Douglas Dodi (Alex Maranhão) e Alisson Farias; Lucão. Técnico: Luiz Carlos Winck

PAYSANDU

Emerson (Marcão); Ayrton, Gualberto, Fernando Lombardi e Peri; Augusto Recife, Jhonnatan, Renato Augusto, Welinton Junior (Fábio Matos) e Magno (Daniel Amorim); Bergson. Técnico: Marquinhos Santos

Arbitragem: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral. Auxiliares: Alberto Poletto Masseira e Gustavo Rodrigues de Oliveira (Trio de SP).

GOLS: Bergson (6/2T) (P) e Diego Giaretta (31/2T) (C)

Cartões Amarelos: Diogo Mateus, Barreto, Raphael Silva e Silvinho (C). Emerson, Bergson e Peri (P)

Cartões Vermelhos: Não Houve

Público: 4.012

Renda: R$ 84.030,00

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.