- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O vacilo do Criciúma no segundo tempo, o desgaste pela maratona de jogos e a falta do segundo gol no primeiro tempo foram os motivos listados pelo técnico Beto Campos para o empate por 1 a 1 do Tigre com o Figueirense. “É complicado manter o ritmo com tantos jogos como o Criciúma vem fazendo. A gente viajou, trabalhou um dia e já jogamos. Poderíamos ter definido no primeiro tempo o resultado e o adversário fez um gol em um erro nosso na segunda chance que teve no jogo. Nós criamos situações com posse de bola, infelizmente não fizemos e pagamos com um empate”, explicou.

Campos ainda listou os atletas mais cansados e reafirmou que o Criciúma merecia ter vencido o jogo. “O Caíque não vinha atuando e, no último jogo, saiu com câimbras. Hoje, ele caiu de rendimento. O Maranhão pediu para saiu porque não aguentou também e já era para ter saído no jogo passado. Com partidas próximas assim, o desgaste é grande, mas a equipe merecia ter vencido. Superamos o adversário em todos os números, mas pecamos em um lance e fomos punidos. Tivemos uma chance claríssima no final e a bola não entrou”, enfatizou.

O excelente primeiro tempo não foi completo pela falta do segundo gol. “A gente tem procurado, desde que chegou, deixar claro para eles que, em casa, temos que propor o jogo e com intensidade. Repetimos bons momentos que tivemos também fora de casa diante do CRB. Faltou um pouquinho para fazer o segundo gol e terminar a etapa inicial com 2 a 0 que seria o que a gente fez por merecer”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.