- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

São oito jogos de invencibilidade para o Tricolor Carvoeiro na Série B. Porém, as últimas três foram empates: diante de Vila Nova, Inter e Paysandu. Por isso, hoje, às 21h30, no Majestoso, apenas a vitória interessa ao Tigre diante do Goiás. Apenas com os três pontos, a equipe seguirá mirando a parte alta da tabela de classificação.

A história é favorável ao Criciúma. Com exceção da disputa na Copa do Brasil de 90, onde foi eliminado, o Tricolor Carvoeiro sempre leva a melhor em jogos decisivos diante do Goiás. A torcida, inclusive, apelidou o time do Centro-Oeste de “freguês”. A estatística comprova o fato: são 25 confrontos entre eles e o Tigre venceu 13 e perdeu apenas sete, com cinco empates. O Goiás jamais venceu no Heriberto Hülse e, na história, ainda levou uma goleada de 7 a 2, em 2004, na época pela Série A do Brasileiro. O grupo de jogadores e o técnico Luiz Carlos Winck esperam manter a escrita hoje.

Lucas Colombo - Treino Tigre Luiz Carlos Winck Tecnico (68)Para o confronto, o Criciúma não terá três titulares: Diogo Mateus, Barreto e Silvinho – todos suspensos pelo terceiro cartão amarelo. Sem poder contar ainda com o atacante Caio Rangel que espera pelo novo contrato com o clube, Winck definiu por Maicon Silva, Jocinei e Alex Maranhão como substitutos. Ontem, no último treino da equipe, no Majestoso, o treinador do Criciúma comandou um treino técnico em espaço reduzido, com rápidas transições da defesa para o ataque. No final do trabalho, os jogadores treinaram jogadas ensaiadas de bolas paradas laterais e da intermediária, além de cobranças de falta e pênalti.

O zagueiro Edson Borges acredita que o Goiás repetirá a fórmula proposta pelo Paysandu, na terça-feira: equipe fechada na defesa e saída rápida para o contra-ataque. “O Goiás vem com mais ou menos a mesma proposta. A Série B está se encaminhando assim: os times que jogam fora se fecham e saem no contra-ataque e acho que amanhã (hoje) não vai ser diferente. A nossa postura de índice de passes tem que ser melhor para que a gente infiltre mais rápido e tente fazer com que o time adversário saia um pouco de trás e possa abrir os espaços”, disse.

Sem pressão excessiva pela vitória

Apesar de estar há três jogos sem vencer, Borges não crê que a equipe entrará em campo pressionada para conseguir a vitória. Ele destaca a importância de pontuar e a maratona de jogos enfrentada pelos clubes. “Na Série B é importante estar pontuando. Muita coisa vai acontecer nessa virada de turno e nós temos muito campeonato pela frente, daqui a pouco, a gente vai conseguir duas ou três vitórias seguidas. É normal ter um pouco dessa oscilação, até pelo cansaço, pelo desgaste. A gente vem de uma maratona e já vai ter outra pela frente e sabemos disso. Estamos indo jogo a jogo, passo a passo. A nossa obrigação é tentar a vitória, mas sabemos da importância de pontuar. A gente vem de oito jogos sem perder, é uma evolução do time. Nós estamos nos entrosando cada vez mais e a equipe está encorpando, a tendência é crescer. A esperança do torcedor não é só esperança para nós: é algo que vamos batalhar muito e vamos nos esforçar para ser feliz no final do campeonato”, completou.

Após ter o gol “roubado” por Diego Giaretta, na terça-feira, quando a bola que Edson cabeceou desviou no companheiro, o zagueiro acredita que pode chegar às redes adversárias hoje. “Eu brinquei com o Giaretta: agora a gente pode trocar: ele raspa a bola e eu faço o gol no segundo pau. Mas o importante é que a gente conseguiu fazer o gol. Esperamos fazer um grande jogo e eu, ou qualquer companheiro, faça o gol. Queremos que o Criciúma ganhe. Isso que é o importante”, finalizou.

Barreto fora, mas o entrosamento segue

Para o volante Jonatan Lima, a ausência do volante Barreto não afeta em perda do entrosamento com os demais companheiros do meio-campo. “A gente procura estar treinando juntos, sempre conversamos e a gente vem em uma sequência boa, mas acontecem cartões e lesões. A gente tem um grupo bom e qualificado para nessas situações responder da mesma forma. Como foi o caso do Jocinei e do Maranhão que entraram bem no jogo passado e deram o que estava faltando para a nossa equipe: posse de bola no campo adversário”, disse.

Lima também espera um adversário retrancado e dificultando o jogo para o Criciúma. “Vai ser outro jogo difícil. Sabemos da dificuldade da competição, não tem moleza. As equipes vêm em uma linha baixa de marcação para jogar contra a gente, tá difícil para encaixar os passes no campo do adversário, mas vamos tentar ser mais fortes, estamos trabalhando para isso, para que a gente possa conseguir os três pontos”, comentou.

Variações de jogadas para surpreender

O meia Jonatan Lima destaca que o técnico Luiz Carlos Winck treina diversas variações de jogadas para envolver o adversário e assim tentar desmanchar uma possível “retranca” do Goiás. “A dificuldade vai existir, independente do treinamento, porque a outra equipe também treina para isso. Nós temos bastante variações de jogadas, o Winck faz muito isso no dia a dia com a gente para quando enfrentar adversários assim. As equipes quando vêm aqui, nos respeitam. É mais ou menos o que acontece contra o Inter, no Beira-Rio: as equipes que vão lá, marcam abaixo da linha da bola porque sabem que é uma grande equipe e se marcar em cima é perigo de gol. As equipes têm vindo aqui assim, mas estamos treinando muito para encaixar o último passe e poder marcar os gols”, finalizou.

Campeonato Brasileiro – 14ª Rodada – Série B

14/07 (sexta-feira) – 21h30 – estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Luiz; Maicon Silva, Raphael Silva, Edson Borges e Diego Giaretta; Jonatan Lima e Jocinei; Alex Maranhão, Douglas Dodi e Alisson Farias; Lucão. Técnico: Luiz Carlos Winck

GOIÁS

Marcelo Rangel; Tony, Matheus Ferraz, Alex Alves e Carlinhos; Toró, Elyeser e Andrezinho; Tiago Luis, Gustavo e Carlos Eduardo. Técnico: Silvio Criciúma

Arbitragem: Luiz César de Oliveira Magalhães. Auxiliares: Marcione Mardonio da Silva Ribeiro e Renan Aguiar da Costa. (Trio do CE)

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.