- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Mais uma final. É assim que o Tricolor Carvoeiro enfrentará o clássico desta noite diante do Figueirense, no Majestoso. Após o triunfo diante do Inter de Lages, no último domingo, o time precisa repetir a dose, a partir das 19h30, para se aproximar das primeiras posições na tabela de classificação no returno do Catarinense.

Treino Tigre_Francis Leny (76)O time está definido pelo técnico Deivid com a volta de Diego Giaretta e Barreto que cumpriram suspensão automática diante dos lageanos. “O Diego saiu por questão do cartão amarelo, não técnica, então, o justo é que ele volte a jogar. O Barreto também. Esperamos que a gente vá com força máxima e consiga sair com os três pontos”, explicou o treinador.

O comandante tricolor espera uma equipe mais consistente e tranquila, apesar da pouca idade da maioria dos jogadores, e sabe da necessidade em melhorar o desempenho. “A gente sabe que precisa melhorar. Nosso time é muito jovem, tirando o Diego, o Luiz e o Rapha, o restante é gurizada: o Barreto e o Dodi tem 21 anos, o Marlon tem 19 anos, Diogo é jovem também. Então, estamos em evolução e temos muito a melhorar”, destacou Deivid.

Partida será muito disputada

Apesar da má fase do rival, que tem apenas três pontos no returno do Catarinense, o técnico do Criciúma não espera uma partida fácil. Deivid destaca que clássicos são jogos diferentes. “É clássico. E clássico não tem essa, o time grande que está em um momento ruim, supera e ganha jogos, começa a dificultar. É 50 a 50. Nós temos que ter essa consciência. Nossa única vantagem é jogar em casa e temos que nos impor, como time e clube grande para conseguir as vitórias”, enfatizou.

Após enfrentar algumas decisões já neste ano, o técnico abandonou o discurso de “jogo do ano” e considera que a equipe precisa estar bem e vencer sempre. “Todo jogo é ‘jogo do ano’. A gente trabalha com futebol há muito tempo e sabe que não pode relaxar. Você joga quarta e domingo e tem que ganhar na quarta e no domingo. Se você ganhar quarta e perder domingo, já tem que corrigir algumas coisas”, explicou Deivid.

Treino Tigre_Francis Leny (8)O treinador não dá importância para os jogos dos adversários. Ele diz que não costuma “secar” os demais times. “A gente tem que fazer a nossa parte. Se fizermos bem feito, eu acredito que a gente chega em nosso objetivo que é ganhar o segundo turno. Não adianta secar e a gente não ganhar. Primeiro temos que vencer e assim não tenho dúvida que seremos campeões do returno”, disse.

Equipe conta com o apoio da torcida

Após ficar surpreso com a presença de quase 2.500 torcedores do Criciúma diante do Inter de Lages, no domingo, quando a momento da equipe não era o melhor, o treinador espera que a torcida repita a dose hoje, diante do Figueirense, e compareça em maior número ainda no Majestoso. “O ponto positivo nesse jogo diante do Inter de Lages é que a torcida jogou junto e isso foi muito importante. A gente vinha com três resultados que não eram positivos e a torcida veio, incentivou, apoiou e correu com a gente até o final e com isso nós conseguimos vencer a partida. Quando eu vinha jogar como atleta, eu sabia a força da torcida e do clube. A gente tem que voltar a resgatar isso, temos que ter o peso de jogar em casa, mas a favor, não contra. A torcida tem que lotar o estádio e dar um voto de confiança”, pediu Deivid.

 

Após vencer sem levar gols, o que não acontecia desde a partida diante do Joinville, em 25 de fevereiro, o comandante tricolor ressalta a importância de, em primeiro lugar, vencer as partidas, e se for sem levar gols, melhor ainda. “Quando você joga e ganha sem tomar gols, sempre é bom. Esse negócio de não tomar gols, eu estou ouvindo do São Paulo, do Flamengo, que estão levando muitos gols. Agora, se você ganhar de 2 a 1 ou 3 a 2, está ganhando e somando para chegar no objetivo que é conquistar. O mais importante é vencer as partidas. É claro que eu quero vencer sem tomar gols, mas se a gente ganhar os três pontos, vou ficar feliz”, reforçou.

Alex Maranhão com maior liberdade

Com a promoção de Ricardinho ao time titular – atuando próximo de Douglas Dodi e Barreto, na contenção e também apoio ao ataque – Deivid liberou mais Alex Maranhão para atuar ofensivamente, com menos responsabilidade de marcar. No clássico de hoje, a situação se repetirá. “Quando você está jogando compactado no meio, porque o Maranhão não é marcador, ele articula as jogadas e chega perto dos atacantes, isso é importante. Ele não consegue fazer o tripé porque a gente fica vulnerável, mas está sendo bom. Nós temos jogado no 4-3-3, 3-6-1, 4-2-3-1, o esquema é o que menos importa. Temos é que jogar compactados e com as linhas se defendendo bem. Quando nós tivermos a bola, temos que atuar com alegria, ter a bola no pé e sem pressa”, finalizou.

Campeonato Catarinense – Returno – 5ª Rodada

29/03 (quarta-feira) – 19h30 – estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Luiz; Diogo Mateus, Raphael Silva, Diego Giaretta e Marlon; Barreto, Ricardinho, Douglas Dodi e Alex Maranhão; Silvinho e Jheimy. Técnico: Deivid

FIGUEIRENSE

Thiago Rodrigues; Weldinho, Leandro Almeida, Bruno Alves e Juliano; Josa, Ferrugem e João Pedro; Elias, Anderson Aquino e Bill. Técnico: Márcio Goiano

Arbitragem: Heber Roberto Lopes. Auxiliares: Eder Alexandre e Clair Dapper.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.