- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O novo Diretor Executivo de Futebol do Criciúma, Gabriel Skinner, foi apresentado oficialmente na tarde de ontem, no Centro de Treinamento do clube. Ele abriu mão de uma apresentação formal, na sala de imprensa do Tigre, para permanecer no ambiente de trabalho e agindo na atividade.

Gabriel Skinner - foto Tiago Monte DN (11)Uma das primeiras missões de Skinner é reforçar o grupo de jogadores para o Brasileirão. Mesmo com o orçamento reduzido e com teto salarial menor, ele pretende usar a rede de contatos adquirida em nove anos de Flamengo e com passagem pela China, juntamente com o técnico Vanderlei Luxemburgo, para trazer jogadores mais caros. “A gente tem que trabalhar em cima do orçamento, todos os clubes estão fazendo isso. Se a gente se levar pela paixão da torcida, é um ‘saco sem fundo’. A gente não pode fazer um caminho inverso: todos os clubes estão trabalhando para isso, agora, o Criciúma com tudo em dia vai fugir disso? Porque todo mundo quer vamos trazer um jogador de 150 mil? Será que temos orçamento para isso? A gente tem um clube que não pode ser endividado e está alinhado. Claro, que eu acho que a gente tem condições que dá para ‘esticar um pouco a corda’ e trazer pessoas mais qualificadas, que, por isso, custam mais caro. Estamos monitorando o mercado e falando com muita gente para dar tranquilidade para a torcida que está um pouco apreensiva”, disse.

O “esticão na corda” pode ser feito através de um acordo com clubes maiores que paguem uma parte dos vencimentos de atletas mais caros. “Não vou falar em valores, até porque eu não costumo falar em valores e nomes de contratações antes de fechar. Agora, sabemos que hoje para contar com gente de qualidade, vamos ter que ‘dançar’ um pouco com os clubes. Eu tenho muitos contatos, já conversei com clubes que possam ajudar e fazer uma composição. Esse é um caminho a seguir. Vão acabar os estaduais, hoje existe um limite de inscrição, então, vai ter clube com elenco grande que vai precisar liberar jogadores para não ter elenco inchado”, explicou.

Gabriel Skinner - foto Tiago Monte DN (10)Gabriel diz trazer o “sangue vitorioso” do Flamengo para conquistar títulos no Criciúma. “Vamos chegar no título do returno. A gente traz um pouco do sangue vitorioso. Ganhamos muito no Flamengo e eu trago isso. Quando vim para cá, eu analisei um planjamento de carreira vendo as possibilidades do Criciúma e elas são muito grandes no Catarinense. Eu vi todos os jogos e não vejo adversários muito superiores”, enfatizou.

O interesse de clubes da Série A, como o Fluminense, por atletas do Criciúma é considerado bom pelo executivo. Porém, ele descarta se desfazer dos principais jogadores do time para contratar outros com salários mais altos. “A gente, em principio, pretende continuar com a maioria dos atletas que tem contrato. A composição que eu digo é que o clube com maior orçamento e poder aquisitivo pague uma parte do salário e nesse sentido”, destacou.

Skinner reforça ainda a dificuldade em contratar jogadores com pouco dinheiro. “Tem posições que estão difíceis de achar não só aqui, mas para todo mundo. Eu vejo o Criciúma muito bem treinado e com bons jogadores, mas, com certeza, a gente tem que se fortalecer. Precisamos de um elenco mais forte para o Brasileiro que é um campeonato longo”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.