- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Florianópolis

- PUBLICIDADE -

Diversos erros defensivos na saída de bola e na marcação complicaram a situação do Tigre no clássico deste domingo contra o Figueirense pelo Campeonato Catarinense. No final, o 4 a 2 deixa o Criciúma em situação difícil no primeiro turno do Estadual. Movimentado, o jogo é candidato a melhor do campeonato até o momento. Ambos os times buscaram o gol desde o início, sem medo. O primeiro tempo do Criciúma foi valente, o segundo mais complicado.

No início, o Tigre manteve a filosofia de ter a bola dominada, por outro lado, o adversário estava com clima pesado e a torcida reclamava contra o treinador Marquinhos Santos desde o primeiro minuto. Aos 3 minutos, João Paulo cortou mal, Jheimy abriu a bola para Pimentinha. Já na área, o atacante cruzou e Douglas Dodi chutou, mas a bola pegou na mão de Alex Maranhão.

O Tigre se impôs no jogo e tomou a iniciativa. O adversário estava nervoso em campo, porém, marcou primeiro. Aos 9 minutos, Raphael Silva saiu jogando errado, ao lado da área, a bola ficou para Josa na intermediária. Ele chutou, a bola desviou em Barreto, e foi no contrapé de Luiz para abrir o placar. 1 a 0. Entretanto, não deu nem tempo do time da capital comemorar: Alex Maranhão lançou Pimentinha nas costas da zaga, ele dominou, na área, pressionado pela zaga e chutou para defesa de Thiago Rodrigues, na sobra, Pitbull completou para a rede. 1 a 1 aos 11 minutos.

Aos 13 minutos, Dudu cruzou e Alex Maranhão afastou de cabeça pela linha de fundo. A bola bateu no braço do meia e o time do Figueira pediu pênalti. Um minuto depois, o mesmo Alex Maranhão cobrou falta na intermediária, pela esquerda, Maicon Silva apareceu no meio da área e cabeceou na trave. No rebote, ele mesmo chutou para fora em grande chance perdida pelo Tigre. O Figueira marcava em cima na saída de bola do Criciúma e complicando o tricolor.

Aos 22 minutos, Pitbull perdeu a bola no meio campo, Dudu avançou pela direita e tocou para Zé Love que cruzou para Bull chutar forte, mas por cima. Aos 29 minutos, Alex Maranhão cobrou falta pela direita, na intermediária, Raphael Silva cabeceou e marcou, mas o árbitro marcou impedimento. A partir da metade da primeira etapa, o jogo ficou mais equilibrado, mas o Criciúma ainda procurava mais o ataque.

Aos 37 minutos, Dudu cobrou escanteio, Helder se antecipou, na primeira trave, e cabeceou por cima de Luiz para marcar: 2 a 1. Valente, o Tigre foi atrás do empate. Aos 42 minutos, Alex Maranhão tocou para Marlon na esquerda. Ele foi ao fundo e cruzou com perfeição para Pitbull cabecear e marcar. 2 a 2. “Nós estamos melhor no jogo. Levamos os gols em infelicidades. Temos que propor mais no segundo tempo para sair com a vitória”, disse o atacante Pimentinha no intervalo.

Figueira x Criciúma - foto Luiz Henrique divulgação Figueirense (2)Logo no segundo minuto da etapa final, Yago bateu escanteio, Helder desviou, a zaga do Criciúma se atrapalhou e Bruno Alves chutou, a bola foi fraca, mas Luiz falhou e levou: 3 a 2. O gramado liso dificultava a saída de bola do Criciúma que não se encontrou na volta para o segundo tempo.

Aos 13 minutos, o Figueirense tocou a bola pela direita, Dudu tocou para Bill que passou para Yago, ele cruzou e Helder completou forte dentro da área para marcar: 4 a 2

Aos 20 minutos, Bill recebeu na direita e tocou para Dudu que bateu forte, de dentro da área, para boa defesa de Luiz para escanteio. Com menos velocidade, Tigre não consegue imprimir pressão no adversário.

O Figueirense se fechou após o quarto gol e dificulta a entrada do Tigre na defesa adversária. Aos 31 minutos, boa troca de passes do Tricolor: Caique Valdivia passou para Douglas Dodi que deu assistência para João Henrique que perdeu o gol de dentro da área. Boa defesa de Thiago Rodrigues. Aos 37 minutos, após bate e rebate, Caio Rangel marca, mas o arbitro assinala impedimento. No final, o Tigre tentou abafar o Figueirense, mas não conseguiu converter em gols.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.