- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

A mais recente partida de Caio Rangel com a camisa do Criciúma foi no dia 30 de junho, diante do Vila Nova, em Goiás. Naquele mesmo dia, se encerrou o vínculo do jogador com o Tigre e uma novela se iniciou: a renovação do empréstimo. O Estoril, de Portugal, adquiriu metade dos direitos federativos do jogador e o repassou, por empréstimo, até o final do ano, para o Tricolor Carvoeiro. Entre trâmites e burocracias, Caio só foi liberado para atuar na terça-feira, dia 18. Até sábado, serão 22 dias de espera. Porém, agora, o jogador quer voltar à campo o mais rápido possível. “Eu não estava mais aguentando ver os jogos das arquibancadas e na tevê. Mas, agora que o momento chegou, estou feliz e quero ajudar o Tigre rumo ao nosso objetivo que é a Série A”, disse.

A vontade do atacante em permanecer no Criciúma falou mais alto. Ele se sente em casa no Criciúma e decidiu permanecer, até o final do ano. A torcida tricolor também sente falta do jogador e a recíproca é verdadeira. “Vocês não sabem o quanto estou com saudade de estar em campo, sentir a atmosfera da torcida, o calor. Agora, o meu foco é continuar jogando bem, fazendo dribles, marcando gols, que é o mais importante para um atacante. Vou matar a saudade dentro do campo com um ótimo resultado neste sábado”, ressaltou o jogador.

No tempo em que ficou parado, o atacante trabalhou no ponto onde mais deixa a desejar: a finalização. O próprio Caio reconhece a dificuldade. “Eu venho trabalhando bastante as finalizações, nesse período que eu fiquei parado. Trabalhei sozinho mesmo. Dentro de casa, eu me cobro muito, converso bastante com o meu pai e ele tenta me acalmar e fala para eu ficar frio na hora das finalizações. Eu creio também que é natural: a partir do momento que eu ficar tranquilo, vão sair vários gols e vou ajudar muito o Tigre”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.