- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

As pessoas envolvidas na confusão ocorrida nas arquibancadas e na parte externa do estádio Heriberto Hülse, logo após a partida entre o Tigre e o Figueirense, serão punidas pelo Ministério Público (MP) e pelo Criciúma. Logo após o tumulto, o promotor do MP, Alex Cruz, solicitou às imagens das câmeras de monitoramento e foi atendido pela direção do clube, representada pelo diretor jurídico, Albert Zilli dos Santos. “Nós encaminhamos às imagens ao Ministério Público que vai apurar as responsabilidades criminais, referentes às pessoas envolvidas, e o clube vai apurar os responsáveis para que as punições aconteçam de acordo com o Estatuto do Torcedor”, explicou, em entrevista à rádio Difusora.

 

O estatuto prevê suspensão dos estádios de três meses a três anos. Caso sejam punidos, os envolvidos deverão se apresentar em uma delegacia no horário dos jogos do Tigre durante todo o período.

Zilli ressalta que o clube dará todo apoio necessário para o MP identificar as pessoas. “Isso não vai passar em branco, o Ministério Público está tomando as providências e o Criciúma vai dar todo apoio necessário para que vire um processo criminal e pode ocorrer, inclusive, a expulsão do quadro social do clube”, contou.

O diretor reprova o que aconteceu nas arquibancadas e no pátio do Majestoso. “Esse caso isolado da torcida não condiz com estádio de futebol e muito menos com o nosso jeito fazer futebol e de torcer em Criciúma. Uma coisa é você estar em grandes centros e ouvir falar dessa pancadaria, não aqui”, ressaltou.

Zilli diz ainda que o Tigre não vai permitir que as famílias deixem de frequentar os estádios. “ Isso expulsa o torcedor e o Criciúma não vai permitir isso, porque o estádio do Criciúma é um local para as famílias levarem seus filhos e possam ir com tranquilidade”, destacou. “O que aconteceu ontem não pode se tornar uma situação comum e corriqueira. Nós não vamos permitir, em hipótese alguma, que isso aconteça”, enfatizou.

O advogado ainda destacou que os erros de arbitragem não podem ser justificativas para confusões dentro e fora do estádio. “É bem verdade que, o que aconteceu ontem (quarta), grande parte é culpa da arbitragem que deixou todo mundo com os nervos à flor da pele e enlouquecidos. Muito embora, isso não justifique. Em hipótese alguma, pode ser justificada a violência por erros ou condutas da arbitragem”, finalzou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.