- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

Em 112 jogos com a camisa do Tigre, Barreto balançou a rede apenas uma vez: contra o Atlético de Ibirama, em 2015, pelo Campeonato Catarinense, embora, para o jogador, ele tenha marcado também no Estadual deste ano, no empate de 4 a 4, diante do Brusque, no Majestoso. Porém, a bola desviou em Ricardinho e o árbitro Rodrigo D’Alonso Ferreira deu gol para o meia do Tigre. Assim, o volante tricolor, de 21 anos, segue em busca do segundo gol como profissional. “Foi uma jogada em que eu fui feliz. O Silvinho achou um passe legal, eu pude fazer uma jogada bonita e tentei tirar o máximo do goleiro. Finalizei da melhor maneira, mas fiquei feliz que a bola sobrou para o Caio e ele pôde estar ali para empurrar para a rede”, disse.

Atuando mais solto, como segundo volante, Barreto tem mais liberdade para chegar ao ataque. Entretanto, o jogador também gosta da primeira função do meio campo. “Eu procuro fazer as duas funções da melhor maneira possível – o que o Winck pede. Quando atuo como primeiro volante, não subo muito, isso é normal, são pedidos do treinador. Como segundo volante, procuro aparecer na frente, tanto que, contra o ABC, fiz a jogada do segundo gol. Então, procuro dar o meu melhor, independente da função”, explicou.

Pontuar fora de casa

Em um discurso habitual, entre jogadores e comissão técnica do Criciúma, Barreto diz que o objetivo do time nas partidas fora de casa, diante de Náutico e Ceará, é pontuar. “Temos que aproveitar o máximo possível e somar pontos. Nossa equipe sempre que vai jogar fora de casa está querendo somar pontos, independente se é um ou três. Se não ganharmos, pelo menos vamos empatar. Acho que esse é o nosso pensamento fora de casa. Vamos jogar da mesma maneira, são dois jogos bem difíceis, mas a gente vai usar a nossa força para tentar somar pontos”, disse.

Sobre os boatos que envolvem uma possível ida do técnico Luiz Carlos Winck para o Inter, de Porto Alegre, Barreto diz não ter conhecimento. “Ele (Winck) não falou nada e não é de falar muito sobre esses assuntos. Eu não posso falar muito porque não sei de nada, ele não comentou nada com a gente e só fala sobre o trabalho, o dia a dia e os jogos. Para mim e para o grupo não chegou nada”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.