- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O alerta está ligado no Tricolor Carvoeiro. Com duas derrotas nas primeiras partidas pela Série B, o Criciúma não pode pensar em outro resultado senão a vitória, hoje, às 19h15, diante do América-MG. É o pior início do time na história do Brasileiro, independente da divisão e ano que disputou. Para não piorar a situação, e deixar qualquer principio de crise para trás, o time busca os três pontos diante dos mineiros.

O técnico Deivid manterá o sistema ofensivo. De acordo com o comandante tricolor, o time será escalado no 4-1-4-1 e não com três volantes. O único desfalque será o volante Paulinho, que não se recuperou de lesão no tendão de aquiles do pé esquerdo. Douglas Dodi entra no meio-campo. “Eu não jogo com três volantes. O Jocinei não é volante, o Dodi não é volante, eles são meias. Eu jogo no 4-1-4-1. Tenho dois beiradas que recompõem e fazem duas linhas de quatro. Então, da mesma forma como eu tenho para atacar, eu tenho para defender. Se pegar os quatro de trás, mais o Barreto e os outros dois, eles juntam com os beiradas quando não tem a bola no 4-1-4-1”, disse.

Apenas bate-papo com a diretoria

De acordo com Deivid, não houve cobranças mais fortes ao trabalho desenvolvido por ele, por parte da diretoria, e não se sente pressionado mesmo após as duas derrotas no início da Série B. O treinador destacou que a conversa do inicio da semana foi um “bate-papo”. “Não tem pressão. Vocês conhecem o Jaime. Eu tive um bate-papo com ele, uma conversa. Pressão, eu não tive, até porque eu fui contratado para fazer um trabalho a longo prazo. Então, não tem crise. O campeonato é longo ou perde agora no começo, ou no meio, ou no fim. Foi bom ter acontecido já no começo porque você percebe que o campeonato não vai ser fácil. Às vezes, você ganha muito no inicio, toma umas duas pancadas no meio e não consegue sair. Depois perde a terceira, quarta e a quinta e quando vê está longe do G4. Esse momento foi bom”, reforçou o comandante.

Deivid - foto Jota Eder radio EldoradoO técnico lembrou que muitos jogadores estão chegando e futebol não é uma ciência exata, os jogadores precisam de entrosamento e o time precisa de tempo para dar certo. “Isso aqui não é uma ciência exata, não é uma fábrica de tintas que eu vou programar e vai acontecer. Aqui é futebol. Eu estreei o Paulinho contra o Santa Cruz, o Zé Roberto e o Jocinei contra o Oeste. Para encaixar uma equipe, vai tempo, não é de uma hora para outra. Quanto tempo eu demorei para encaixar o time do Estadual? Eu perdi para o Avaí, ganhamos fora, e eu tentando achar o time. Só fui encontrar lá por dois meses e meio”, lembrou o treinador.

Permanência até o final de 2018

Na entrevista coletiva de ontem, Deivid afirmou que o contrato dele com o Criciúma foi extendido até o final de 2018. Ele detalhou o fato que aconteceu, de acordo com o técnico, há um mês. “Ele (presidente) me procurou pra ficar por dois anos. Nós estávamos almoçando, ele pegou um papel, escreveu, assinou, e pediu pra eu assinar. Eu tenho palavra e assinei. Eu vim pra cá para fazer um trabalho e essa é a minha convicção”, disse. Questionado sobre a veracidade do fato, Deivid foi enfático. “Isso é verdade, eu aceitei a proposta, mas a gente sabe como é futebol”, reforçou.

Deivid ainda lembrou que, há um mês, recebeu uma proposta de um time da Série A, mas nem pensou em deixar o Tigre. “O meu contrato com o Jaime é até novembro e pode vir quem quiser que eu não vou sair. Eu tenho compromisso. Em março, eu tive uma proposta de um time de primeira divisão e nem pensei em aceitar, também não fui pedir aumento, porque eu acredito na palavra, no olho no olho”, finalizou.

Campeonato Brasileiro – Série B – Terceira Rodada

26/05 – sexta-feira – 19h15, estádio Heriberto Hülse

CRICIÚMA

Luiz; Diogo Mateus, Raphael Silva, Diego Giaretta e Marlon; Barreto, Jocinei e Douglas Dodi; Caio Rangel, Zé Roberto e Silvinho. Técnico: Deivid

AMÉRICA-MG

João Ricardo; Norberto, Messias, Rafael Lima e Ernandes (Pará); Gustavo Blanco, Zé Ricardo, Renan Oliveira (Luan) e Ruy; Bill e Felipe Amorim. Técnico: Enderson Moreira

Arbitragem: Rodrigo Batista Raposo. Auxiliares: Ciro Chaban Junqueira e Daniel Henrique da Silva Andrade (trio do DF).

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.