Rondonistas retornam transformados pela troca de saberes

Os universitários foram até as comunidades para fazer oficinas sobre temas das oito áreas da extensão universitária nacional

Foto: Divulgação/DN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Enxergar além dos seus próprios muros, ajudar o próximo, se colocar no lugar do outro e deixar uma marca. Diversos estudantes da Unesc participaram da operação ‘Caminhos do Sul’, do Núcleo Extensionistas Rondon, da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina). Eles fizeram parte da turma de 300 alunos de outras 15 universidades parceiras a visitar 22 municípios de Santa Catarina.

- PUBLICIDADE -

Os universitários foram até as comunidades para fazer oficinas sobre temas das oito áreas da extensão universitária nacional: educação, saúde, meio ambiente, direitos humanos e justiça, cultura, comunicação, trabalho e tecnologia e produção. Além disso, contribuíram para todo e qualquer tipo de melhorias que estivessem no alcanço das mãos, como limpeza de terrenos baldios, reformas simples e outras atividades.

Prestes a se formar, a aluna Marieli da Silva ainda não havia tido nenhum tipo de contato com a comunidade. Durante todo o curso, além de estudar, os outros dois períodos eram ocupados pelo trabalho. Para ela, a participação no projeto foi transformadora. “Serei uma profissional diferente depois de ter essa experiência. Nossos problemas são tão pequenos perto do que as pessoas dessas comunidades vivem. Aprendi a valorizar a vida”, contou.

O estudante Afonso Nkadi comentou que a sua equipe, de apenas 15 estudantes de universidades diferentes, movimentou uma cidade inteira. Além das oficinas e trabalhos diversos, ele comenta que o que mais chamou a atenção dele foi um outro tipo de necessidade. “Muitos apenas queriam atenção, uma palavra amiga, um abraço. O remédio que eles precisam se baseia muito mais no calor humano”, comentou.

Um Rondon na Unesc

Com a participação neste projeto da Udesc, um sentimento de missão voltou junto com aqueles que contribuíram. O professor da Unesc Diego Pires comentou que novas ideias já estão sendo estudadas. “Voltamos com vontade de fazer mais, e em nossa região existem tantos trabalhos que podemos desenvolver. Vimos todo tipo de carência: financeira, afetiva, social, cultural. Acredito que possamos desenvolver caminhos por meio de nossa Unesc”, comentou.

O pró-reitor Oscar Montedo, comentou que essa iniciativa vai criar uma raiz dentro da Universidade “Queremos levar a essência do Rondon para Criciúma e região. São diversas as possibilidades de desenvolvermos outros projetos”, comentou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.