Foto: Giovane Marcelino / DN
- PUBLICIDADE -

Giovane Marcelino / Especial
Criciúma
A Escola de Educação Básica Ministro Jarbas Passarinho, localizada no bairro Pinheirinho, em Criciúma, chega aos 38 anos de fundação com novidades. A instituição que conta atualmente com 160 alunos, onde destes, 60 estudam em período integral, se prepara para realizar uma série de atividades nesta quarta-feira, 30, a partir das 14h30min. Além de apresentações feitas pelos alunos, um dos pontos chave do 38º aniversário será o lançamento de um livro que conta a história da escola, que atualmente passa por reformas e receberá novidades em breve.

Com alunos de 7 a 15 anos, do 2º ao 9º ano, a escola se prepara para contar a sua história. Com parceria com o departamento de história da Unesc, o projeto que conta a história da instituição de ensino buscou aprimorar a origem do local. “Foi um trabalho que está sendo desenvolvido há dois anos, onde temos o objetivo de fazer um resgate de tudo o que aconteceu, desde imagens a depoimentos sobre a escola”, explicou o gestor escolar, Edson Bortolotto.

- PUBLICIDADE -

Segundo Edson, o trabalho de pesquisa contou com a participação da comunidade em geral. “Desde os atuais alunos, até pessoas que já passaram por aqui ajudaram a contar a história. Muitos não quiseram se identificar, só queriam mesmo contribuir com a história”, complementou.

O local onde a escola está localizada é onde funcionava, nas décadas de 50 e 60, o aeroporto Leoberto Leal, onde anos depois, deu lugar às construções da Administração Municipal de Criciúma como o Paço Municipal, Teatro Elias Angeloni e o Centro de Eventos José Ijair Contí. A escola herdou um espaço considerável, onde desde 1979 realiza suas atividades.

Sobre o livro que resgata a história dos 38 anos da Jarbas Passarinho, o projeto contou com apoio de recursos oriundos do Governo Federal e será distribuído aos alunos. “Convidamos toda a comunidade à participar desse dia especial conosco, que trará muitas lembranças a todos”, convidou Bortolotto.


Projetos Sociais

A Escola Jarbas Passarinhos, que conta com um ambiente com refeitório, pátio extenso e amplas salas de aula, é uma das que recebe educação integral, onde no contraturno escolar, são realizadas atividades que integram o aluno a diferentes oportunidades de conhecimento.

Um destes é o Projeto de Educação Ambiental e Alimental (Ambial), que tem como objetivo desenvolver trabalhos e atividades educativas visando melhores hábitos alimentares. Na escola, os próprios alunos ajudam a fomentar a horta. Além do Ambial, é trabalho o Programa Estadual Novas Oportunidades de Aprendizagem (PENOA) que tem o objetivo de lograr êxito na aprendizagem de habilidades de leitura, cálculo e conhecimento em outras áreas.

Alunos especiais também recebe auxilio através do Saede, que é uma modalidade ensino responsável pelo atendimento às Pessoas com Deficiência, Transtorno do Espectro Autista, Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade e Altas Habilidades/Superdotação, no âmbito da escola.

E o educando com dificuldades em português e matemática podem contar com o programa Mais Educação, criado pelo governo Federal que tem o objetivo de ajudar no aprendizado e recuperação de conteúdo.

De acordo com o gestor, programas deste tipo colaboram para que a criança aprenda e se desenvolvam mais na escola. “Este tempo adicional que o aluno fica aqui, faz com que além da aprendizagem, ele possa ficar longe de ambientes em que ele ficaria sem ocupação”, pontuou.
CEJA passará a atuar no local

Funcionando na escola Joaquim Ramos desde 2015, o Centro de Educação para Jovens e Adultos (CEJA) passa a atender na Jarbas Passarinho a partir de julho. Os trabalhos de mudança para a escola já estão sendo realizados para que passe a funcionar no local.

Duas turmas já começam as atividades no local no dia 9 de junho. O restante das turmas deverá começar quando retornarem as férias para o segundo semestre.

 

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.