- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Içara

- PUBLICIDADE -

Um grande empreendimento deve se instalar em Içara até agosto. A construção do Fort Atacadista – grande empresa que mesclará atacado e varejo na unidade – acontecerá no bairro Presidente Vargas e deve gerar incremento às contas do município. “O faturamento deles é de 10 milhões de reais ao mês, o que deve gerar um milhão de faturamento com ICMS por ano ao município. Não é uma grande quantia, mas já ajuda. Nós estamos felizes mesmo é com a quantidade de empregos que vai gerar aos moradores do bairro Presidente Vargas, o maior da cidade”, disse o prefeito Murialdo Gastaldon (PMDB), em entrevista à rádio Difusora.

Os empresários avaliaram a possibilidade de levar a obra para Criciúma, visto que a região é limítrofe, como aconteceu há mais tempo com a Cecrisa e recentemente com o Nações. Entretanto, o prefeito intercedeu para garantir o empreendimento em Içara. “Eles estavam em dúvida se construíam as instalações na divisa de Criciúma ou em Içara. Então, eu falei para eles: ‘se vocês forem para Criciúma ficará três a zero para lá’ e, felizmente, eles resolveram construir em Içara”, destacou Gastaldon.

Ano de inaugurações importantes

Além do Fort Atacadista, outras inaugurações devem acontecer ainda em 2017 no município de Içara. “O Terminal Intermodal já deve começar a operar neste ano na Fazenda Nova Esperança. Além disso, entre as comunidades do Barracão e Posso Três, haverá a instalação de um grande empreendimento que será chamado de ‘Cidade do Caminhoneiro’. Haverá posto de gasolina, borracharia, restaurante e uma praça para que os motoristas possam estacionar o veículo e dormir com tranquilidade. Ou seja, todo o necessário aos caminhoneiros. Será um projeto inovador”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.