Acic busca voo matutino para São Paulo

Presidente da associação, César Smielevski, tem reunião nesta segunda-feira, 13, com representantes da Passaredo e da RDL Aeroportos

Foto: Divulgação/DN
- PUBLICIDADE -

Bruna Borges

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O presidente da Associação Empresarial de Criciúma, César Smielevski, segue em busca de uma companhia aérea que ofereça um voo que saia da Região de manhã para São Paulo e retorne à noite. Nesta segunda-feira, 13, o empresário estará com representes da Passaredo Linhas Aéreas e da RDL Aeroportos, empresa que administra os aeroportos Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi, de Jaguaruna, e Diomício Freitas, de Forquilhinha. “Vamos mostrar a eles o potencial do Sul e que é viável mais um voo, principalmente saindo de manhã e voltando à noite. Em princípio pedimos para o Diomício Freitas, mas pode ser no de Jaguaruna também. O importante é que o Região consiga este voo”, explica Smielevski.

Atualmente, os empresários e população do Sul contam apenas com um voo que sai de Jaguaruna às 11h45min, para Congonhas (SP), da TAM, e outro que sai às 15h35min de Jaguaruna, da Azul, para Viracopos (SP). “Gostaríamos de um terceiro que saísse por volta das 7h e retornasse perto das 22h”, reforça o presidente da Acic.

Defesa

Ainda conforme Smielevski, as três microrregiões do Sul do Estado somam quase 1 milhão de habitantes e os dois voos oferecidos atualmente vão para São Paulo sempre lotados, mesmo sendo em horários que não são considerados bons. “Se conseguirmos o voo de manhã sabemos que sempre estará lotado também”, comenta.
A Acic tem negociado ainda com a companhia Azul, mas a empresa está demorando a dar uma resposta. Por isso a Região busca na Passaredo um “plano b”.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.