Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

As rescisões dos contratos de trabalho dos profissionais que atuam nos Setores Plástico Flexíveis e Descartáveis, referentes aos desligamentos a partir de primeiro de abril, serão homologadas na Delegacia Regional do Trabalho (DRT) de Criciúma. Esse foi o encaminhamento da reunião realizada na manhã desta quarta-feira, na DRT de Criciúma, com representantes do Sindicato das Indústrias Plásticas (Sinplasc) e também do Sindicato das Indústrias Descartáveis da Região (Sindesc). O encontro foi pedido pelos sindicatos representantes das empresas, uma vez que o sindicato laboral estava se recusando à prestar a assistência nas homologações.

“Decidimos solicitar essa reunião e colocar ao MTE essa situação, devido à negativa das homologações no período da discussão do dissídio coletivo das duas categorias, o que impedia que os trabalhadores pudessem requerer o saque do FGTS e habilitar-se ao seguro desemprego”, explicou o advogado do Sindesc Dr. José Carlos Pereira.

- PUBLICIDADE -

A reunião foi iniciada com a presença de representantes do sindicato dos trabalhadores, que decidiram por se retirar sem encaminhar negociação. Mesmo sem a presença destes, a gerente da DRT em Criciúma, Cássia Gava, e do chefe de fiscalização regional, Francisco de Assis Gonçalves, deram seguimento ao encontro para tentar resolver o impasse e definiram pelo encaminhamento das rescisões na própria DRT e o agendamento já pode ser feito pelas empresas. “Não podemos deixar os trabalhadores serem prejudicados. Respeitamos as interpretações dos termos da Convenção Coletiva, mas não podemos deixar os trabalhadores sem atendimento e vamos fazer esse trabalho conforme a nossa possibilidade”, informou a Gerente Cássia Gava.

O processo de homologação na DRT deve acontecer até que seja concluído o dissídio das categorias. O Sinplasc e o Sindesc orientam as empresas a fazerem o agendamento na Delegacia. Maiores informações podem ser obtidas junto aos Sindicatos Patronais.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.