Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Braço do Norte

Foram mais de 16 horas de depoimentos de pessoas próximas à criança de 10 meses de idade que morreu na manhã de ontem em Braço do Norte. O padastro dela, de 21 anos, que havia sido preso no velório confessou o crime. A principal suspeita é de asfixia direta ou mecânica contra a menina. Não foi divulgado o que levou o homem a cometer o ato.

- PUBLICIDADE -

Denúncias apontaram que cunhado e padastro levaram a criança ao Hospital Santa Teresinha e informaram que a causa teria sido o engasgamento por conta de iogurte. A mãe, estava trabalhando em um salão de beleza no momento da tragédia. Ela prestou depoimento e foi liberada no início da manhã de hoje, 26. Ela namorava o autor do crime há poucos meses.

O Instituto Médico-Legal de Tubarão recolheu o corpo para fazer exames, onde preliminarmente foi apontado a asfixia. A criança foi sepultada às 10 horas de hoje no Cemitério Municipal de Braço de Norte. A Polícia Civil permanece em investigação. O padrasto foi encaminhado ao Presídio Regional de Tubarão.

Colaboração: Notísul

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.