Obesidade: De olho na balança e na qualidade de vida

Número de casos está crescendo no país, o que gera alerta para a importância de hábitos mais saudáveis

- PUBLICIDADE -

Há algumas décadas, encontrar pessoas acima do peso considerado ideal não era tarefa tão fácil. Pelos padrões de vida da época, a maior parcela da população acabava possuindo uma estrutura física mais magra. No entanto, com o passar do tempo e com as mudanças de hábitos, esse “padrão” também sofreu alterações. Hoje, está cada vez mais comum sair nas ruas e observar pessoas com excesso de peso extremo. Apenas nos últimos dez anos, os casos de obesidade no Brasil cresceram quase 60%, segundo um levantamento do Ministério da Saúde.

Caracterizada pelo excesso de gordura corporal – tanto de forma localizada, quanto generalizada –, a doença pode ser desenvolvida por diversos fatores. “Pode ser pelo estilo de vida, como grande consumo de alimentos hipercalóricos, grandes porções, privação do sono, sedentarismo e deficiências hormonais; como genética e fatores emocionais”, explica o médico endocrinologista Daniel Meller Dal Toé.

- PUBLICIDADE -

Apesar de não existir uma faixa etária mais propensa a desenvolver essa condição, ela vem se mostrando comum em alguns casos específicos. “A obesidade atinge ambos os sexos e está em níveis crescentes. Entretanto, o estudo Vigitel (Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) mostra níveis mais elevados de sobrepeso e obesidade nos homens. O mesmo estudo mostrou maior risco acima dos 35 anos de idade”, acrescenta o médico.

 

Confira a reportagem completa na edição desta quinta-feira, 10, do jornal Diário de Notícias.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Suelen Bongiolo
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.