Missão catarinense no Japão visa ampliar exportação de carne suína

Estado pretende alcançar o mesmo patamar dos embarques de carne de frango ao país asiático, que totalizaram US$ 260,6 milhões, em 2016

- PUBLICIDADE -

Tóquio

Em missão catarinense ao Japão, o presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), Glauco José Côrte, destacou que o Estado busca ampliar as exportações de carne suína ao país asiático para alcançar o mesmo patamar dos embarques de carne de frango, que em 2016 totalizaram US$ 260,6 milhões, contra US$ 5,9 milhões das exportações de carne suína ao Japão no mesmo período. “O mercado japonês está aberto, mas os espaços temos que conquistar”, afirmou.

- PUBLICIDADE -

Nesta segunda-feira, 6, a Fiesc coordenou um seminário de oportunidades de negócios e investimentos, realizado em conjunto com a Embaixada do Brasil no Japão, em Tóquio. O encontro teve a presença de 40 participantes, entre empresários japoneses e executivos das brasileiras WEG e BRF no Japão.

Côrte lembrou que Santa Catarina iniciou os embarques do produto ao país asiático em 2014, mas a quantidade ainda é pequena. “O Japão é uma das maiores economias do mundo e está entre os três maiores importadores de carne suína. Estreitamos mais e mais as relações entre o Estado e o Japão. As empresas catarinenses têm forte poder competitivo em sanidade na agroindústria, estrutura de plantas industriais modernas, preço, qualidade e tradição comprovada para atender demandas rigorosas do mercado japonês”, disse.

Consolidado como o principal produto de exportação catarinense, a carne de aves é também o principal produto da pauta de exportação para o Japão, sendo responsável, em 2016, por mais de 80% do total destinado ao país. Com isso, o Japão se apresenta como destino número um dos embarques catarinenses do produto, quase 20% do total do produto exportado pelo Estado.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Tóquio

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.