Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Mais um serviço entra em paralisação a partir desta segunda-feira, 27. Os metalúrgicos ligados ao Sindimetal de Criciúma e Região param as atividades a partir das 7h. Eles rejeitaram a proposta patronal na Assembléia da última sexta-feira, 24, no Sindicato dos Metalúrgicos, localizado no bairro Comerciário.

- PUBLICIDADE -

Os trabalhadores não aceitaram o índice de 7% em duas parcelas: 5% em janeiro e 2% em maio para salários de até R$ 3,5 mil. Para salários acima deste valor até R$ 5 mil, 5% em janeiro e 1% em maio, sendo a negociação livre com salários superiores a R$ 5,5 mil. No piso e abono também 7% de aumento.

Na avaliação do presidente do Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Criciúma e Região (Sinmetal), Francisco Pedro dos Santos, a proposta não passou porque o trabalhador está cansado e quer ser valorizado. Segundo ele, a greve começa em uma empresa ainda não definida.

Na Assembleia do dia 10 já não haviam aceitado 5% de aumento em janeiro para quem recebe até 3.500; o valor fixo de R$140 reais para quem ganha acima de R$ 3.500; mais 1% em julho para aqueles com salários até R$ 3.500 e acima de R$ 3.500 o valor de R$ 35 reais. Entre as principais reivindicações da categoria estão o INPC de 6.58% mais 3% de aumento real. A data-base é 1º de janeiro.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.