Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro de Nova Veneza volta a competir no Festival de Dança de Joinville

A coreografia escolhida será “Celebrando l’amore ciballa la Pizzica”, uma dança que comemora as festas dos casamentos italianos

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

O Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro de Nova Veneza volta a competir no palco principal na 35ª edição do Festival de Dança de Joinville no próximo domingo, dia 23, a partir das 19h, no Centreventos Cau Hansen. Após um ano fora da competição para participar do Festival de Danças em Maranhão e o Festival de Danças Folclóricas em Treviso, na Itália, agora o grupo volta com a coreografia “Celebrando l’amore ciballa la Pizzica”.

O Festival de Dança de Joinville é o maior evento deste gênero na América Latina e o maior do mundo em número de participantes. Nós últimos sete anos, o grupo neovenezianos manteve-se entre os primeiro colocados, sendo tricampeão. Depois de sete anos consecutivos de premiação no Festival de Dança de Joinvillle, resolvemos alçar novos voos, culminando em nossa ida à Itália. Porém, a saudade bateu e resolvemos nos inscrever para o festival, sendo que, nos classificamos novamente para competir. O prazer de pisar naquele palco é inexplicável e, para este ano, levaremos uma proposta totalmente diferente de tudo que apresentamos nestes 26 anos de existência do grupo”, destacou a presidente da entidade Ivogenes Duminelli Niehues.

- PUBLICIDADE -

Segundo Ivogenes, a viagem ao Maranhão em 2015 e à Itália em 2016 trouxe aos dançarinos uma vasta bagagem. “Encontramos culturas muito diferente da nossa de igual riqueza. Sem contar o prazer que sentimos de estar levando o nome de Nova Veneza. A turnê que fizemos pela Itália foi o ponto alto do ano em que comemoramos 25 anos de existência, foi a realização de nosso maior sonho enquanto grupo”, ressaltou.

Coreografia

A coreografia escolhida “Celebrando l’amore ciballa La Pizzica” é uma dança tradicional das festas dos casamentos italianos. “Os noivos chegam em uma carroça puxada por um cavalo cenográfico até a festa que acontece em uma praça. Já tínhamos há anos essa ideia de retratar a alegria de uma festa de casamento italiano e estávamos em um trabalho de pesquisa desde o ano passado. Segundo algumas pesquisas sobre os casamentos antigos descobrimos que ainda se dança a pizzica, que é uma dança antiga, não deixa de ser uma tarantela, mas tem todo uma especificidade corporal diferente”, explicou uma das coreógrafas do grupo Susan Bortoluzzi Brogni e secretária de Cultura, Esporte e Turismo.

Segundo Susan, o maior desafio do grupo será desmontar as danças baseadas nas tarantelas que foram apresentadas durante os 25 anos do Grupo, pois a pizzica é uma dança de cortejamento e exige uma expressão corporal diferente. “Estar sempre os três primeiros colocados elevou a responsabilidade do grupo em manter sua técnica, a história do que eles representam e a italianidade”, afirmou.

Para o bailarino Ricardo Mazzorana Albuquerque é uma oportunidade única estar no festival. “Esse ano nós iremos na sexta para assistir a apresentação de danças populares júnior e sentir um pouco do nível do festival. E viver um pouco do festival que é maravilhoso, é dança aos quatro cantos da cidade. E aproveitar para trocar experiências com os outros grupos”, destacou.

Importância cultural

O Grupo Folclórico tem uma importância fundamental para a cultura do município, com uma projeção muito grande. “O Grupo Folclórico Ítalo Brasileiro de Nova Veneza se destaca por onde passa representando o nosso município. O Poder Público sempre incentivou o grupo que trouxe na bagagem várias vezes títulos importantes no Festival de Dança de Joinville e vamos torcer para que venham mais uma vez com o título de campeão”, salientou.

Ao todo, viajam 38 bailarinos que irão competir na categoria sênior nas Danças Populares e mais integrantes da diretoria.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Nova Veneza

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.