Funcionários do Hospital Psiquiátrico deflagram greve

Paralisação das atividades iniciou às 18 horas da quinta-feira e segue por tempo indeterminado

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Os mais de 70 funcionários do Hospital Psiquiátrico Instituto de Saúde e Educação Vida (Isev), no distrito de Rio Maina, em Criciúma, entraram em greve no fim da tarde dessa quinta-feira, 11. As atividades foram interrompidas às 18 horas e seguem paralisadas por tempo indeterminado. Motivada pelo atraso no pagamento dos salários, a decisão foi tomada durante uma assembleia com os trabalhadores, também realizada na quinta.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde), João Batista Martins Estevam, a paralisação era para ter ocorrido já no início da semana. “A folha do mês de abril deveria ter sido paga no quinto dia útil do mês, o que não ocorreu. No domingo, já devia ter entrado em greve, mas os trabalhadores foram dando alguns dias para a direção. Como não tivemos nenhuma luz, nenhuma resposta por parte da direção, acabamos iniciando a greve”, destaca.

Durante a paralisação, apenas 30% dos serviços serão mantidos, respeitando o limite mínimo previsto para greves.

Atraso por falta de repasse

Conforme o diretor administrativo do Hospital Psiquiátrico, Marcelo Sottana, os pagamentos não ocorreram neste mês, pois não houve repasses públicos. “Não recebemos da Prefeitura de Criciúma o que foi trabalhado no mês passado. Foi pedida a renovação do contrato que venceu em março, mas não foi assinada ainda”, afirma.

Para a prefeitura, os repasses não podem ser feitos devido a questões legais. “Haverá a renovação do contrato se o Isev apresentar a Certidão Negativa de Débitos. Se não, não há como fazer”, explica a secretária de Saúde de Criciúma, Francielle Gava.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Suelen Bongiolo
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.