Consequências da mentira no processo de trabalho serão abordadas em Conferência Estadual

Assunto será tema em painel sobre desafios da advocacia trabalhista, em evento que ocorre em Criciúma

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Especialista em Direito e Processo do Trabalho e ex-presidente da Associação Catarinense dos Advogados Trabalhistas, Gustavo Villar Mello Guimarães estará na Conferência Estadual da Advocacia para abordar “A mentira e suas consequências no processo de trabalho”, durante o painel “Novos Desafios da Advocacia Trabalhista”. O evento será de 24 a 26 de maio, em Criciúma.

- PUBLICIDADE -

Guimarães apresentará sua visão de como e porque a “mentira” se faz presente nas ações trabalhistas, quando o Poder Judiciário a identifica e como trata essa questão. Não apenas a mentira das partes, mas também das testemunhas. “Da mesma forma, pretendo traçar um paralelo entre mentira, ações aventureiras e número de ações trabalhistas, abordando desde a possível revisão da gratuidade do acesso à justiça como as aplicações de sanções na litigância de má-fé”. Dentro do cenário trazido pelo novo CPC, o painelista falará sobre a responsabilidade dos advogados quanto à matéria e como eles podem se proteger quanto a isso, uma vez que o Artigo 77 do novo CPC passou a prever a obrigação do advogado, e não apenas da parte, de expor os fatos em juízo conforme a verdade.

 

Sobre a Conferência Estadual

A Conferência Estadual dos Advogados é o maior evento promovido pela OAB/SC. Ela ocorre a cada três anos e já está na 18ª edição. Este ano, será realizada em Criciúma, entre os dias 24 e 26 de maio, em comemoração aos 40 anos da Subseção. Mais de 1,5 mil advogados são esperados para o evento, que terá três dias de palestras com alguns dos maiores juristas brasileiros. As inscrições podem ser feitas diretamente pelo site da OAB ou pelo telefone (48) 3239.3533. Grupos acima de 10 pessoas têm descontos especiais.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.