Após abraço realizado no fim do mês de março, comunidade aguarda boas notícias para o hospital psiquiátrico localizado no bairro Rio Mania, em Criciúma - Foto: Giovane Marcelino / Especial DN
- PUBLICIDADE -

Criciúma / Florianópolis

 
Uma comitiva de vereadores de Criciúma está se deslocando para Florianópolis, onde durante esta quinta-feira, pretendem conversar com membros do governo estadual para conseguir recursos para a Casa de Saúde do Rio Maina, onde a mesma está passando por dificuldades financeiras há alguns meses. A expectativa é de voltar para a cidade com boas notícias.

- PUBLICIDADE -

De acordo com o presidente da Câmara de Vereadores, Júlio Colombo, a manutenção do serviço é fundamental para muitas famílias da região. “Devido ao apelo das famílias, que estão preocupados com a situação, vamos suplicar para que o governo nos ajude e que o hospital se mantenha com as portas abertas”, explicou.

Hoje, a instituição é administrada pelo Instituto Saúde, Educação e Vida (Isev), o mesmo que enfrentou problemas nos hospitais Santa Catarina, de Criciúma, e São Marcos, em Nova Veneza. “Precisamos manter esse importante atendimento aberto, pois somente o Caps não seria suficiente”, complementou Colombo.

 
Abraço marcou descaso com o hospital

No dia 29 de março, um abraço simbólico foi a maneira que a comunidade encontrou de procurar uma salvação para a instituição hospitalar. No dia, os próprios vereadores participaram do ato, além de pais de pacientes que expressaram a importância dos serviços disponibilizados.

A Casa de Saúde do Rio Maina atende 42 municípios da região e tem capacidade máxima de atendimento de 101 pacientes, onde mais de 120 aguardam atendimento. Outro problema que esta agravando é o gasto nos atendimentos, onde pela tabela SUS, é repassado o valor de R$ 49,90 para os custos diários de cada paciente, mas o valor é três vezes menor do que é gasto, onde cada atendimento tem custo em torno de R$ 149,35.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.