Foto: Angélica Brunatto/DN
- PUBLICIDADE -

Giovane Marcelino / Especial
Criciúma

 
Desde o último dia 10 de março, os nascidos nos meses de janeiro e fevereiro que tem contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) já podem retirar o benefício nas agências da Caixa Econômica Federal. Com a primeira liberação, a projeção é de que o comércio seria o maior beneficiado. Mas os primeiros dias de liberação não tem animado os lojistas, que aguardam maior movimentação nas próximas semanas.

- PUBLICIDADE -

Segundo o gerente de uma loja de móveis e eletrodomésticos, João Crispim Neto, a procura da população tem sido para sair do vermelho. “Recebemos alguns clientes que vieram renegociar a dívida, mas para comprar foram bem poucos. Alguns comentaram que é o momento de quitar as compras e aguardar como será os próximos meses”, afirmou.

O ramo de calçados também não se beneficiou ainda com a liberação. De acordo com a gerente, Paula Sieglitz, a expectativa é de que as vendas aumentem só nos próximos meses. “Ainda está fraco. Não deu reflexo ainda essa liberação, mas na nossa visão, esperamos que as vendas aumentem”, considerou.

O próximo grupo que começa a receber o benefício são os nascidos em março, abril e maio, onde a liberação começa no dia 10 de abril. Na seqüência, junho, julho e agosto começam a receber a partir de 12 de maio. De 16 de julho em diante, são os nascidos em setembro, outubro e novembro e finaliza com os nascidos em dezembro a partir de 14 de julho. O prazo final para os saques vai até dia 31 de julho.

 

FCDL acredita em incremento no comércio

Em campanha desde as primeiras liberações, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL-SC) aposta no aumento das vendas nas próximas semanas. Segundo o presidente Ivan Taufer, a liberação vai proporcionar poder de compra ao trabalhador. “O dinheiro que vai para o sul, vai acabar indo parar no consumo do dia-a-dia e vai contribuir também para amenizar os números negativos do varejo com o passar do tempo”, avaliou.

Taufer ainda avalia que muitos vão preferir pagar somente as dívidas. “Passamos por um momento difícil nos últimos meses e vai ser um longo período de crescimento, o dinheiro vai entrando aos poucos, onde irá ajudar a melhorar o comércio”, finalizou.

Em Santa Catarina, serão liberados R$ 2,2 bilhões para o repasse aos trabalhadores. Em todo o Brasil, são mais de 30 milhões de trabalhadores que tem o direito de resgatar o valor com contas inativas até dezembro de 2015.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.