- PUBLICIDADE -

Giovane Marcelino / Especial
Criciúma

 

- PUBLICIDADE -

As manifestações por conta do Dia da Greve Geral continuam em Criciúma. Após a saída do Terminal Central de Ônibus, os sindicalistas, trabalhadores e estudantes que levaram cartazes em forma de protesto pelas possíveis reformas trabalhistas e da previdência, se deslocaram ao centro da cidade para participar de um ato maior.

Com a aproximação do meio-dia, a praça Nereu Ramos foi lotando, onde toda a área foi preenchida por pessoas. A chegada do grupo oriundo da região do bairro Universitário aconteceu por volta das 12h e foram recepcionados com aplausos. Participante do movimento, a professora Cintia dos Santos reforçou o poder do trabalhador neste dia. “Não podemos aceitar essas reformas. O que o governo está querendo fazer é injusto e só trará retrocesso”, afirmou.

O estudante Pedro Izé utilizou o palco para convocar os estudantes para a tarde de manifestações. “As escolas devem liberar os alunos para que eles também possam participar desse momento de apoio aos trabalhadores”, disse.

Após as falas, sanduíches foram distribuídos para os presentes. O ato continua durante toda a tarde na Praça Nereu Ramos, de Criciúma.

 

Invasão à loja foi registrado

Um pequeno grupo tentou fazer com que o proprietário de uma loja fechasse o estabelecimento para aderir ao movimento. Sem sucesso, eles entraram no lugar. A Polícia Militar, que atua na segurança do local, foi acionada para atender o chamado do dono, que se recusou a fechar o lugar.

 

Confira fotos e vídeo:

Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN
Foto: Marciano Bortolin / DN

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.