Bairro da Juventude reinaugura Escola de Panificação e Confeitaria

Há 19 anos, o local acolhe as aulas práticas do curso de Padeiro e Confeiteiro, gerando oportunidades e inserção de jovens no mercado de trabalho

Foto: Divulgação
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Desde sua inauguração, em 1998, a Escola de Panificação e Confeitaria do Centro de Educação Profissional do Bairro da Juventude não havia passado por uma reforma considerável, principalmente nos equipamentos, que já não atendiam mais a necessidade. Há dois anos, a instituição começou a mobilizar recursos para a reforma e substituição dos equipamentos. E, para comemorar a conclusão da obra, o Bairro reuniu na tarde desta quinta-feira, 25, parceiros, autoridades e alunos que puderam conferir as novas instalações.

- PUBLICIDADE -

Com uma área de 90m², o local atende hoje, gratuitamente, aproximadamente 60 adolescentes com idades entre 14 e 18 anos. “A instituição se destaca também por formar grandes cidadãos. E todo esse trabalho só é realizado porque temos ao nosso lado parceiros que entendem e confiam em nossa missão”, revela o presidente do Conselho Deliberativo do Bairro da Juventude, Franke Hobold.

Além da reforma que contou com a colocação de pisos e azulejos, instalação elétrica inteiramente nova, substituição e colocação de telas nas janelas, nova iluminação em LED e colocação de pedras de granito nas mesas e pias, a Escola de Panificação e Confeitaria também ganhou equipamentos, como masseira, estufa, divisora, forno e modeladora. “O valor investido na compra dos equipamentos foi de aproximadamente R$ 115 mil, que captamos através de três projetos. Isso tudo só foi possível porque não medimos esforços e buscamos parcerias que pudessem sustentar este sonho de oferecer o melhor para os jovens”, admite o coordenador dos cursos profissionalizantes, Marcelo dos Santos.

Ao longo dos 19 anos do curso, o Bairro da Juventude formou mais de 1.127 adolescentes e já encaminhou ao mercado de trabalho aproximadamente 60% dos adolescentes formados no ano passado. “Esse número cresceria caso fossem contabilizados os adolescentes formados, mas que ainda não possuem idade para acessar o mundo do trabalho. Isso só demonstra a credibilidade do curso e a competência dos jovens que formamos para o mercado”, avalia Santos.

Após a cerimônia, os convidados realizam uma visitação ao local e degustaram pães, salgados e doces preparados pelos alunos do curso, em parceria com apoiadores. “A qualidade da mão de obra é essencial para a indústria. E o Bairro da Juventude sabe muito bem preparar jovens, não apenas para o setor da Panificação, como também para outros segmentos”, destaca o vice-presidente regional sul da Fiesc, Diomício Vidal.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.