Polícia encaminha inquérito ao judiciário

Divulgação
- PUBLICIDADE -

Angelica Brunatto

Criciúma

- PUBLICIDADE -

 

Recluso no Presídio Santa Augusta, o empresário de 38 anos, detido no último dia 12, teve a oportunidade de contar à Polícia Civil a versão do estupro de uma menina de 11 anos, caso que chocou toda a população. Contudo, segundo o responsável pela delegacia de Cocal do Sul, Evandro Rodrigues, o homem optou pelo direito de falar apenas em juízo.

Dessa forma, o inquérito policial envolvendo o caso de Cocal do Sul foi concluído e, na sexta-feira, encaminhado ao Fórum da Comarca de Urussanga, onde será julgado. Conforme Rodrigues, ele foi indiciado por estupro de vulnerável e cárcere privado. A documentação passará por análise do Ministério Público que oferecerá a denúncia contra o empresário.

A Polícia Civil ainda aguarda laudos periciais realizados nos telefones do criminoso. Assim que os documentos chegarem à delegacia, serão anexados ao processo. Os demais casos, ocorridos em Balneário Rincão e Içara continuam a ser investigados pela Polícia Civil.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.