Trabalhadores do Hospital Regional podem entrar em greve

- PUBLICIDADE -

Os mais de 300 trabalhadores do Hospital Regional de Araranguá, após a municipalização da instituição de saúde ser mais uma vez anunciada, estão em busca de garantias e ameaçam paralisar as atividades no dia 10 de outubro. Uma Assembleia foi realizada ontem pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde de Criciúma e Região (Sindisaúde) junto aos funcionários para discutir o que seria considerado risco para os funcionários com a mudança de gestão para o Cisamesc.

“Eles mantém a insegurança e o descontentamento com esta mudança”, explica o presidente do Sindisaúde, Cleber Ricardo da Silva Cândido. “O maior motivo de preocupação é de que a empresa que assumir o passivo deixado pela Sociedade Paulista de Desenvolvimento da Medicina (SPDM), que atualmente administra a instituição, acabe fazendo com que os profissionais sejam demitidos e isso acaba gerando insegurança. Queremos que as solicitações que foram realizadas na assembleia sejam atendidas pelas partes”, complementa.

Reivindicações dos trabalhadores

- PUBLICIDADE -

Conforme o sindicalista, foram definidos na reunião três reivindicações a serem definidos com o novo gestor: Rescisões de todos os contratos; recontratação dos trabalhadores e 12 meses de estabilidade após as recontratações. “Caso os itens não sejam cumpridos e  não sejam acordados ainda na próxima semana, os trabalhadores deflagram greve a partir do dia 10 de outubro”, pontua Cleber.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Jéssica Pereira
Em: Araranguá

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.