- PUBLICIDADE -

Um dos sete catarinenses a participar do Ironman Mundial deste ano, o criciumense Santiago Mendonça segue hoje para Kona – distrito da Grande Ilha, no Havaí. Lá será disputada a prova deste ano, no dia 8 de outubro. O triatleta tomou a decisão de viajar com duas semanas de antecedência para facilitar a adaptação ao clima local e também para se preparar psicologicamente ao desafio. “Em 2014, cheguei muito em cima da hora na prova. Eu senti um pouco porque não teve dia para relaxar, desestressar. Foi uma semana muito corrida e eu acabei sentindo um pouco na prova. Lá faz 35 graus com uma umidade de 80%, então, assim: não há corpo que saia bem de um ambiente de vinte e poucos graus para 35 em trinta horas depois. Por isso eu decidi ir antes. Também quero treinar um pouco lá e viver algumas coisas que há dois anos eu não consegui”, explicou Santiago.

Ele acredita que 10 dias são necessários para a adaptação perfeita. “Preciso de no mínimo oito dias. Em 2014, foram apenas cinco. Como a prova do Ironman é muito longa, não é só o rendimento que influencia. A cabeça tem que estar boa também, tem que estar preparado psicologicamente. A nutrição tem que estar adequada: se tu chegas muito em cima da hora nem consegue se adaptar com o que tem de comida no local. Então, eu quero ter esse tempo”, contou o triatleta.

- PUBLICIDADE -

Para encarar os 3.800 metros de natação, 180km de ciclismo e 42km de corrida, Mendonça treinou forte até o último domingo e agora reduzirá o ritmo. “Eu tenho duas semanas no que a gente chama de ‘descanso de polimento’ que é para adaptar o corpo e chegar no dia 8 com 100%”, disse. Nas últimas duas semanas, o atleta percorreu grandes distâncias em Criciúma e região. “Cheguei a fazer até 6 horas de ciclismo e até 2 horas correndo, em cada sessão. Foram os dois treinos mais longos que eu fiz e, agora, nas próximas duas semanas, nós vamos baixar esse volume”, enfatizou o triatleta.

Santiago 3 - foto divulgação - pag 22-minSantiago destaca que a dosagem é importante para o triatleta chegar pronto no dia da prova. “Tu não pode treinar muito e nem pouco. Nas últimas duas semanas tu vais dosar, ‘acertar o ponteiro’, para não replicar errado na prova e não quebrar. Às vezes, na prova, por ansiedade ou por forçar, tu paga na corrida. O Ironman funciona com estratégia: tu podes começar errando na natação e sair ‘afogado’, como a gente diz, pagando o preço no ciclismo. Então, tu já não vens bem e a corrida não rende”, contou.

O triatleta diz que está preparado para a prova mundial, mas que estará pronto apenas no dia da competição. “Eu até brinco com os meus alunos, porque todo mundo pergunta se estou ansioso ou se estou pronto. Daí eu digo: ‘pronto eu vou estar às 6h55 do dia 8’. Eu estou me preparando. Um aluno comentou: ‘mas é a mesma coisa’, eu disse: ‘Não. É muito sutil a diferença’. Tu estás preparado a qualquer momento, mas não está pronto para um combate. Então, tu juntas a parte nutricional, psicológica e de treino no dia 8, às 6h55, quando da o tiro da largada. Ali tu tens que estar pronto. É isso que eu passo para as pessoas que agora começam a me perguntar: ‘E aí, pronto?’ Cara, não tem nada pronto ainda. Estou preparado”, conta Mendonça.

O criciumense conta que está com o organismo programado para o Ironman. “A gente tem vários itens como: alimentação, treinamento, sono e o stress – porque mesmo o cara estando no Havaí, que é um lugar paradisíaco, tu estás ansioso pela prova. Até isso tem que ser controlado. Por isso, chegar duas semanas antes da prova no local: para sentar, botar a cabeça no lugar, pensar a prova e a estratégia”, explicou.

Serão mais de dois mil competidores na prova mundial. Além dos classificados, a organização guarda algumas vagas para convidados e celebridades – que ajudam a dar destaque ao evento na mídia. O número de brasileiros é 98 e deles apenas sete são catarinenses. “O treinamento é sempre solitário. Essa é a parte difícil do Iron. Se eu convidar alguém para correr 20 quilômetros, é difícil encontrar alguém que enfrente. 180 quilômetros de ciclismo? Da mesma forma. Se tivesse outros triatletas da região fazendo Ironman até dava para fazer grupos, mas não tem”, finaliza Mendonça.

SAIBA MAIS

Números da prova:

3.800 metros é a duração da natação

180 quilômetros de ciclismo

42 quilômetros de corrida

2.000 participantes

98 brasileiros no Ironman

7 catarinenses na disputa

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Tiago Monte

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.