Roberto comemora fase positiva

Após grande atuação diante do Oeste, atacante do Criciúma destaca uma das melhores partidas da temporada

- PUBLICIDADE -

Um dos melhores jogadores em campo contra o Oeste, o atacante Roberto celebra o bom momento e garante que a atuação contra os paulistas, na terça-feira, foi uma das melhores dele na temporada. “Vamos dizer que sim. Foi um grande jogo, não só meu, como da equipe. A postura defensiva foi muito boa com todo mundo compactado nas linhas, certinho, e eu no segundo tempo pude ajudar a equipe com arrancadas e passes para gols – que é a minha característica, meu ponto forte. Fico feliz”, enfatizou o jogador.

A forma como atua o time treinado por Fernando Diniz ajudou no desempenho do  jogador do Tigre. “O Oeste é um time que movimenta todo mundo: o volante joga de atacante, o atacante joga de volante, os zagueiros tentam sair toda hora, então, pra gente que tem velocidade sobra bastante espaço atrás. O Dodi e o Barreto saíram várias vezes em arrancadas, mas fomos felizes quando apertamos, no inicio do jogo, e o Dodi fez um belo gol. Sair com um gol no começo da tranquilidade”, disse.

- PUBLICIDADE -

Um fato inusitado aconteceu na partida de terça-feira. Com mal estar, devido a um problema estomacal, Roberto teve o desempenho prejudicado no primeiro tempo. Entretanto, o médico do clube, Raphael Villatore, resolveu o problema no intervalo. “Estava meio fraco e mais jogadores sentiram isso. Acabei tomando um remédio para enjoo, deu uma melhorada, e no segundo tempo as coisas deslancharam e até brinquei no final do jogo para sempre tomar esse remedinho no intervalo para ajudar”, comentou, bem humorado, o atacante.

Roberto destaca que está com o preparo físico em boas condições e não jogou contra o Avaí por precaução. “Estava com uma dorzinha no adutor, onde o doutor achou melhor dar uma preservada, até porque, daqui a pouco, se eu vou para o jogo e acaba ‘estourando o músculo’, ao invés de ficar um jogo fora, fica um mês ou dois meses. Então, nessa parte final do campeonato, a gente tem que cuidar para não agravar alguma lesão. Mas estou me sentindo bem. Ontem, tive um pouco de desgaste no final do segundo tempo e o Pitbull entrou no meu lugar. A gente tem elenco, grupo para isso. Quando entro em campo dou o máximo porque sei que quem entrar vai fazer isso também”, disse.

Cobranças exageradas da torcida

O jogador destacou que as vaias e críticas da torcida são normais. Porém, não concorda com os excessos. “Tem que cobrar. A gente fica um pouco chateado porque, às vezes, é meio pesado. Xingam com vários palavrões que a gente não gosta de ouvir porque todo mundo é trabalhador e pai de família. Nós vamos ali para dar o nosso melhor. É ruim eu sair da minha casa e ir a um restaurante e xingar o garçom. Ninguém gosta de ser xingado. Mas a cobrança vai ter, não só aqui, como em qualquer lugar. Temos que saber assimilar e pedir para a torcida que vem aos jogos mais para apoiar e incentivar. Ontem, nós estávamos ganhando por 1 a 0 e a torcida cobrando bastante. Então, venha e nos incentive que a gente sempre vai entrar para fazer um bom jogo e dar o nosso melhor. Ninguém entra para perder”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Tiago Monte

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.