Relacionamento com Pelaipe motiva saída de Roberto Cavalo do Criciúma

O treinador não descarta a possibilidade de um dia retornar à cidade e afirma ter deixado o clube com as portas abertas.

Foto: Tcharlles Fernandes/DN
- PUBLICIDADE -

Criciúma

Com o coração doído, não apenas pela tragédia envolvendo a delegação da Chapecoense, mas também pelos materiais divulgados no “Blog do Paulinho”, que afirmam que Roberto Cavalo e o ex-auxiliar, Cavalinho, ganharam uma quantia para “valorizar o currículo” de Daniel Bacan, o ex-técnico do Criciúma falou sobre a decisão sair do time. Ele aponta que a matéria é infundada e que a situação não influenciou na decisão de deixar o clube. “Sou um cara honesto, puro e trabalhador. Tudo o que conquistei na vida foi com suor”, aponta.

- PUBLICIDADE -

Cavalo irá se defender judicialmente da decisão e jura não conhecer o jornalista que fez as acusações. Segundo o advogado Ivo Carminatti, na segunda-feira a queixa crime será protocolada contra o profissional. Assim, serão 55 ações contra o jornalista, grande parte por danos morais.

Quanto à saída do Criciúma, Cavalo apontou problemas com o diretor executivo de futebol, Paulo Pelaipe. “O meu trabalho foi muito bom. Durante o tempo que aqui fiquei, mesmo com algumas turbulências e dificuldades. Trabalhamos forte, com honestidade e chegamos como oitavo colocado na Série B”, expõe.

O treinador não descarta a possibilidade de um dia retornar à cidade e afirma ter deixado o clube com as portas abertas. “Às vezes eu fui meio louco. Mas louco pelo Criciúma, para fazer o bem, o certo e correto”, comenta.

A reportagem completa na edição de amanhã do Diário de Notícias

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Em: Criciúma

NOTA: O TN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.