Raphael Silva de olho na bola aérea

Retorno do defensor, contra o Oeste, coincidiu com o primeiro jogo do time sem levar gols desde a partida contra o Náutico

- PUBLICIDADE -

Um dos pontos fortes do Brasil, hoje, em Pelotas, contra o Tigre, é a bola aérea. Na partida diante do Avaí, esse fator foi o que mais sofreu crítica por parte da torcida, ainda mais com os dois gols marcados por Lucas Coelho contra o Tricolor. Raphael Silva estava ausente do jogo. No retorno do jogador, frente ao Oeste, o Criciúma ficou sem levar gols, algo que não acontecia desde o confronto em Recife, contra o Náutico, no dia 20 de agosto. Hoje, o zagueiro estará em campo e espera ajudar a afastar o perigo da área do Tigre.“A gente tomou dois gols de bola parada e teve alguns sustos lá contra o Avaí. Acho que todos os companheiros tem um bom tempo de bola quando o adversário ataca, mas foi a tarde deles naquele jogo, onde o Tigre não foi feliz. Eu venho trabalhando, sempre procuro me posicionar bem dentro da área e afasto essas bolas perigosas em faltas que vem para nos complicar”, disse o jogador.

Raphael espera um confronto difícil hoje à noite após a boa atuação diante do Oeste. “Fizemos um grande jogo em casa, onde tinhamos que ganhar de qualquer jeito. Conseguimos fazer um bom placar, tivemos um bom volume de jogo. Agora é um outro jogo difícil fora de casa, o Brasil está brigando na parte de cima e a gente, se ganhar, encosta também no G4”, enfatizou.

- PUBLICIDADE -

O jogador do Criciúma acredita que a pressão da torcida xavante deverá acontecer, principalmente, nos primeiros minutos. “Estamos esperando uma grande pressão lá. Onde também eles utilizam muito a bola parada, o campo não é muito grande e a torcida deles incentiva muito. Eles vão querer pressionar e nós temos que suportar nos primeiros minutos e para jogar tranquilos lá”, destacou.

Silva não descarta o acesso do Criciúma para a Série A do Brasileiro ainda nessa temporada. “Se a gente ganhar fica a um ponto do G4. Está muito equilibrado e a gente tem isso em mente. Acredito que podemos subir, só precisamos de uma sequência de vitórias que ainda não tivemos na competição. Embalar diante do Brasil será muito importante para a gente na competição”, enfatizou o zagueiro.

A dupla com Diego Giaretta, que deu certo no Catarinense, foi reeditada na Série B e Raphael aponta sucesso na parceria. “A gente conversa bastante para estar bem próximos e não ter erro ali dentro da área”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Tiago Monte

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.