- PUBLICIDADE -

Originalmente atacante, Niltinho vem atuando como lateral esquerdo do Criciúma nas partidas mais recentes. Com bom rendimento, o jogador vem se fixando na lateral. O técnico Roberto Cavalo, em entrevista coletiva, há algumas semanas, comentou que o jogador havia pedido para não atuar na posição. Entretanto, ele mudou de ideia. “Ele (Cavalo) sempre vem falando comigo e perguntando onde eu gosto de jogar. Eu disse: ‘professor, é o seguinte: posso atuar onde eu render mais para a equipe’. Ele preferiu me colocar na lateral contra o Brasil e fomos felizes lá em Pelotas, deu certo, e agora é continuar contra o Sampaio”, disse o jogador.

A função exige mais poder de marcação do atleta, mas Niltinho não se assusta com o desafio. “Futebol primeiro é marcar. Isso é o mais importante. Enquanto a gente está marcando e não está tomando gol, a probabilidade de ganhar o jogo aumenta. Às vezes é complicado. Até porque eu peguei o Marquinho, do Oeste, e ele é liso, rápido. Mas daí é não grudar nele, porque, às vezes, se ele virar, complica. Então, a gente tenta antecipar e tudo certo”, explicou o agora lateral.

- PUBLICIDADE -

Um dos jogadores mais vibrantes e também provocadores em campo, Niltinho explica que tem que saber usar o artifício para desestabilizar os adversários. Embora em alguns lances não funcione, como em um momento contra o Oeste. “Tem que saber provocar na hora certa, só que nesse lance o cara passou. Mas o importante é que eu soube marcar no segundo tempo, meus companheiros me ajudaram daquele lado, o Barreto, o Felipe Guedes e deu tudo certo”, contou o atleta.

A partida contra o lanterna Sampaio Corrêa é vista com atenção por Niltinho. Ele lembrou, inclusive, que o Criciúma perdeu a partida no primeiro turno. “Temos que manter o máximo respeito. Sabemos que eles virão recuados, então, vamos tentar fazer um gol no início do jogo e mudar essa história”, enfatizou o jogador.

Niltinho 2 - foto Fernando Ribeiro CEC - pag 21

Ele lembra que os atletas nunca deixaram de acreditar na recuperação do time na competição e na briga pela vaga na Série A de 2017. “É uma coisa que nós, jogadores, colocamos na nossa cabeça: mesmo com protesto, dava pra subir. E não foi diferente. Com essas duas vitórias, a chama acendeu mais ainda. Então, vamos em busca desta terceira vitória seguida, que não aconteceu ainda no campeonato, e sonhar com esse acesso que nunca saiu da nossa cabeça”, falou Niltinho.

Ele ainda não balançou as redes com a camisa do tricolor, mas acredita que o momento certo está chegando. “Parece que os goleiros dão a vida nos meus chutes, mas é tranquilo. Tenho que treinar mais porque pode ter certeza que a bola vai entrar. Enquanto as assistências estiverem saindo tá bom também. É manter a cabeça no lugar que alguma hora sai”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Tiago Monte

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.