Kathiê perde a última partida nas Olimpíadas de xadrez

Equipe brasileira é derrotada pela Estônia na última rodada e não consegue superar melhor resultado

- PUBLICIDADE -

BAKU/AZERBAIJÃO

A seleção brasileira feminina de xadrez encerrou a participação nas Olimpíadas da modalidade na 48ª posição e igualou o resultado obtido em 2008 na cidade de Dresden na Alemanha. A derrota para a Estônia, na última rodada, impediu que a equipe superasse a melhor colocação da história: 44ª posição em Tromso, na Noruega – 2014. As Olimpíadas de xadrez acontecem a cada dois anos.

- PUBLICIDADE -

As brasileiras venceram uma partida, empataram outra e perderam duas vezes para as estonianas. A içarense Kathiê Goulart Librelato perdeu para Margareth Olde e fechou a participação nas disputas com quatro vitórias, um empate e três derrotas em oito partidas disputadas tendo 56,25% de aproveitamento. Suzana Chang foi a única vencedora ao bater Monika Tsiganova. Juliana Terao empatou com Mai Narva e Thauane Medeiros perdeu para Triin Narva.

O elenco feminino acumulou vitórias contra Montenegro (3×1), Maláui (4×0), Marrocos (3×1), País de Gales (4×0) e Indonésia (3,5 x 0,5), além de empates com Azerbaijão 3 (2×2) e Grécia (2×2). As derrotas ocorreram contra a Croácia (2,5×1,5), a Índia (3×1) e Malásia (4×0).

A próxima edição da competição acontecerá em 2018 na cidade de Batumi, na Georgia.  Não há eliminatórias antes da competição para a conquista de vagas, como nas modalidades dos Jogos convencionais. Todos os países regularmente inscritos na Federação Internacional de Xadrez participam do evento, além da equipe olímpica de cegos e da equipe olímpica de pessoas portadoras de necessidades especiais (IPCA). O país sede pode ter duas equipes.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Tiago Monte

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.