- PUBLICIDADE -

Tiago Monte

Criciúma

- PUBLICIDADE -

O presidente do Criciúma, Jaime Dal Farra, avaliou a participação da equipe na Série B do Brasileiro. “Ficou dentro do que ficou possível. O clube dentro de campo apresentou muita instabilidade. Oscilou muito. Teve uma fase boa até a 11ª rodada, depois entrou em uma fase que é normal no futebol: caiu de produção e nada dava certo. Depois retomamos e agora no final nova instabilidade, quando a gente tinha boa possibilidade de subir para a Série A. Infelizmente isso aconteceu, faz parte do futebol: olha o Internacional, o Cruzeiro… clubes que tem um orçamento 10 vezes maior que o nosso e também acontece. Nós temos que estar atentos a isso e corrigir essas situações. Estamos trabalhando para ter regularidade, pois vai subir quem tem regularidade”, destacou o mandatário.

Pelaipe ficará no clube

O Diretor Executivo de Futebol, Paulo Pelaipe, será confirmado para o próximo ano. “Com o Pelaipe, estamos em fase final de acerto, está tranquilo. Só não tive tempo de estar envolvido diretamente. Tive reunião nas empresas, de planejamento estratégico, convenção de vendas de uma empresa do grupo, então, está faltando um pouco de tempo. Nós temos intenções que o Pelaipe fique porque ele me ajudou bastante e ajudou o Criciúma. Acredito que vai nos auxiliar no ano que vem”, explicou Dal Farra.

Cinco contratações devem ser feitas

O executivo tricolor diz que tem interesse na manutenção da maioria dos atletas que estão no clube. “Precisamos fazer uma avaliação mais crítica e vai depender da situação financeira. Alguns atletas querem aumento salarial, mas sendo possível, queremos manter. Por isso não dá precisar quantos ficarão”, explicou.

Niltinho - foto Fernando Ribeiro CEC - pag 20 e 21Dal Farra diz que está enfrentando uma forte concorrência de equipes do Campeonato Paulista. “Estamos negociando com empresários e os próprios atletas. Agora, vem a concorrência do Campeonato Paulista, onde eles pagam muito bem. Estão oferecendo 45, 50 mil reais para os atletas e o Criciúma agora não tem condições de pagar isso. Teremos uns dois ou três jogadores nesse nível, mas nada mais que isso”, disse.

As conversas já começaram com sete ou oito jogadores. Destes, até cinco devem chegar ao Tigre. “Já temos vários jogadores mapeados para o ano que vem. Nós queremos quatro ou cinco atletas de nível. Dois meias, dois atacantes e um lateral direito. Estamos buscando esses jogadores. Na esquerda temos o Marlon e estamos analisando o Rômulo. Na defesa, acreditamos que estamos bem. Vamos avaliar. Estamos trabalhando muito e já temos conversas com sete ou oito atletas dentro das condições orçamentárias do Criciúma e as parcerias que nós temos com Palmeiras, Cruzeiro e Corinthians”, enfatizou.

Alguns jogadores foram mencionados por Dal Farra. “O Nathan e o Juninho nos interessam. O Niltinho pertence ao São Caetano. Já conversamos com eles em setembro e, em principio, querem vender. Primeiro temos que ver com o São Caetano a intenção. Para nós teria que ser por empréstimo. A gente não tem recursos ainda e depende do acerto com o atleta – que quer ficar e nós temos interesse. Está sendo avaliado e a Direção de Futebol está tocando o assunto”, explicou.

A meta é ter um grupo forte para 2017. “Tivemos bons jogadores esse ano e que vão ficar para o ano que vem. Vários jogadores tem contrato até o final de 2017 como o Raphael Silva e o Diego Giaretta. O Luiz tem contrato até 2021, o Dodi e o Barreto até 2018, o Ianson até 2019, então, vários atletas que a gente tem formam uma base boa. Com outros jogadores, a gente fez contrato até o fim do campeonato e vamos avaliar para tentar renovar, desde que seja possível, dentro das condições financeiras do clube e do orçamento de uma Série B”, finalizou.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.