Trabalhadores da Celesc seguem em greve

mediação é realizada no MPT de Florianópolis
- PUBLICIDADE -

Após mais uma rodada de negociações realizada na tarde de sexta-feira, entre o Ministério Público do Trabalho, Intercel e Intersindical, em Florianópolis, a greve dos trabalhadores da Celesc em Santa Catarina segue sem data prevista para encerrar. No entanto, segundo a procuradora regional do trabalho, Cinara Sales Graeff, uma nova proposta foi apresentada pela empresa e a expectativa é que na próxima quarta-feira um acordo possa ser firmado.

“Na primeira proposta a empresa apresentou 4,8% de reajuste e um abono no valor de R$ 3 mil. Já na tarde de sexta-feira, uma nova proposta foi apresentada. Os 4,28% de reajuste se mantiveram, no entanto foi feito a proposta de progressão de cinco níveis no plano de cargos e salários, o que daria um incremento de 9,38% e um vale alimentação de R$ 34 por dia. Essa proposta será analisada, porém o ideal seria que o valor de 9,38% fosse de reajuste salarial, não no plano de cargos de salário”, aponta a procuradora.

- PUBLICIDADE -

De acordo com a procuradora, os representantes dos sindicatos irão se reunir na segunda-feira com os trabalhadores para discutir as propostas e apresentar uma contra-proposta que será avaliada pela empresa. “As coisas estão encaminhando e a nossa expectativa é que na próxima reunião que acontecerá na quarta-feira, dia 5, no MPT, ambas as partes possam entrar em acordo e os serviços serem retomados”, comenta.

Serviços de emergência serão mantidos

Segundo a procuradora do trabalho, os trabalhadores da Celesc se comprometeram a fazer os serviços de emergência e manter os trabalhos normalmente durante o final de semana das eleições. “Só para se ter uma ideia, do dia 26 de setembro, data do início da greve, até a tarde do dia 28 de setembro, 3 mil unidades consumidoras ficaram sem energia elétrica. Por isso foi importante este acordo firmado com os profissionais”, aponta.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar
Por: Jéssica Pereira

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.